Você está aqui Mundo Educação Biologia Gravidez Alimentação na Gravidez

Alimentação na Gravidez

A alimentação na gravidez merece atenção e cuidados. De uma maneira geral, recomenda-se nessa fase uma dieta balanceada, rica em carboidratos, proteínas e vitaminas.

Alimentação na Gravidez
Durante a gestação, o cuidado com a alimentação deve ser constante

Na gravidez, deve ser dada atenção especial à alimentação, procurando sempre ter uma dieta balanceada e evitando alguns alimentos que podem causar dano à saúde da gestante e do bebê. É muito importante que a gestante procure auxílio médico ou de um nutricionista nessa tarefa, uma vez que muitas informações incorretas podem chegar aos ouvidos das futuras mamães.

→ O que a gestante pode comer?

De uma maneira geral, podemos dizer que as recomendações alimentares para as gestantes não se diferenciam muito daquelas feitas para a população em geral. É importante salientar também que a mulher necessita de mais energia e nutrientes, entretanto, isso não quer dizer que ela deve alimentar-se por dois.

A energia necessária aumenta de acordo com o trimestre em que se encontra a gestação. Além das 2000 kcal recomendadas por dia, orienta-se que apenas no segundo e terceiro trimestre sejam aumentadas de 340 kcal a 450 kcal. A principal fonte de energia são os carboidratos, que podem ser obtidos em alimentos de origem vegetal, tais como cereais, tubérculos, leguminosas e frutas.

As necessidades proteicas também são ampliadas, porém podem ser supridas com uma dieta saudável. A gestante ainda deve ingerir diariamente laticínios e leguminosas. Proteínas de origem animal, tais como carnes, devem ser consumidas, porém recomenda-se a moderação.

Os lipídios também são importantes para o funcionamento do organismo, no entanto, não existem orientações específicas para as gestantes em relação a esse nutriente. Apesar disso, é preciso evitar o excesso, principalmente de gorduras saturadas, como aquelas presentes em frituras e salgadinhos industrializados.

O ácido fólico é um nutriente que merece destaque, pois é importante para a redução dos riscos de malformações do tubo neural do bebê. Para obter esse nutriente, recomenta-se a ingestão de frutas, hortaliças, cereais integrais e leguminosas, além de suplementos dessa vitamina, os quais geralmente são usados antes e até os três primeiros meses da gestação.

O ferro também deve ser consumido a fim de impedir anemia e problemas graves no bebê, como baixo peso, prematuridade e mortalidade. Para conseguir esse nutriente, deve-se aumentar o consumo de alimentos de origem animal, como carnes, leguminosas, como feijão e hortaliças verde-escuras. Vale salientar que a vitamina C ajuda na aborção de ferro e cálcio e, por isso, também devemos dar atenção especial a ela.

Outros nutrientes importantes durante a gravidez são iodo, cálcio, vitamina D, zinco e magnésio. Além disso, a hidratação é fundamental.

→ Com quais alimentos a gestante deve redobrar a atenção?

Alguns alimentos merecem atenção especial durante a gestação. Entre eles, podemos citar:

  • Peixes e frutos do mar: Peixes não devem ser comidos crus ou mal passados, e ostras e mariscos não devem ser ingeridos.

  • Carnes e embutidos: Carnes devem ser comidas somente após o cozimento completo.

  • Vegetais: Lavar bem os vegetais antes de consumi-los.

  • Ovos: Ovos devem ser comidos apenas completamente cozidos e com a gema dura. Maionese caseira não é recomendada, bem como alimentos que usem ovos crus.

  • Laticínios: Evitar leite não pasteurizado e, caso seja utilizado leite de fazenda, ferver por, pelo menos, 30 segundos.

  • Bebidas: Não ingerir muita bebida que contenha cafeína. Chás não são recomendados, pois alguns apresentam ação abortiva. Bebidas alcoólicas não apresentam nível seguro de consumo. Refrigerantes e sucos industrializados também não são recomendados por causa da quantidade de açúcar, corantes e aromatizantes.

Assuntos Relacionados