Você está aqui Mundo Educação Biologia Histologia Animal Glândulas sebáceas

Glândulas sebáceas

As glândulas sebáceas são exócrinas e secretam uma substância rica em lipídios denominada sebo.

Glândulas sebáceas
A glândula sebácea é responsável pela produção de uma substância rica em lipídios

As glândulas são estruturas formadas a partir de tecido epitelial que se caracterizam por sua capacidade de secretar substâncias. Essas estruturas podem ser divididas em dois grandes grupos: as exócrinas e as endócrinas.

As glândulas endócrinas lançam sua secreção — nesse caso, também denominada de hormônio — diretamente na corrente sanguínea. Já as glândulas exócrinas liberam sua secreção na superfície do corpo ou na luz dos órgãos. Como exemplo desse último tipo, podemos citar as glândulas sebáceas.

As glândulas sebáceas estão localizadas na derme e são anexas aos pelos, formando unidades pilossebáceas. São glândulas do tipo acinosas, ou seja, apresentam porção secretora com formato arredondado, e holócrinas, uma vez que a secreção é eliminada levando juntamente toda a célula, ou seja, a própria célula constitui a secreção.

As glândulas sebáceas produzem uma secreção, denominada de sebo, que é rica em lipídios, tais como os triglicerídeos, ácidos graxos e colesterol. É essa substância que garante a lubrificação da pele, evita o ressecamento de pelos e impede a perda de água de maneira excessiva. Além disso, essa substância garante uma leve ação bactericida. O sebo não apresenta nenhum cheiro, entretanto, o desenvolvimento de bactérias nesse local pode levar à produção de odores.

As glândulas sebáceas estão presentes em todo o corpo humano, não sendo encontradas apenas nas palmas das mãos e dos pés e no dorso dos pés. Os locais onde ocorrem com maior frequência são o rosto, as costas e o tórax.

Até a puberdade as glândulas sebáceas produzem pouco sebo, entretanto, a partir dessa fase, os hormônios, principalmente a testosterona, começam a agir e inicia-se uma grande produção de secreção. Os hormônios atuam apenas na produção de sebo, não influenciando o número de glândulas, que permanece praticamente constante durante toda a vida. A síntese de sebo tende a diminuir em mulheres após a menopausa; em homens, no entanto, não ocorre nenhuma alteração significativa até os 80 anos de idade.

A glândula sebácea é responsável pela produção de uma substância rica em lipídios
A glândula sebácea é responsável pela produção de uma substância rica em lipídios

A acne é um dos principais problemas que afetam a unidade pilossebácea e geralmente ocorre na puberdade, quando a glândula sebácea inicia sua maior produção. Esse problema caracteriza-se pelo acúmulo de queratinócitos, hiperprodução de secreção pelas glândulas sebáceas, colonização por bactérias e inflamação, que provoca o surgimento de uma lesão característica. A acne, além de provocar uma aparência ruim na pele, pode desencadear problemas emocionais nos acometidos, que se sentem envergonhados em razão das lesões.

Entretanto, é importante destacar que não é somente a produção exagerada de sebo que pode desencadear aspecto ruim na pele. A pouca produção dessa secreção pode deixá-la opaca, desidratada e com pouca elasticidade, o que pode desencadear até mesmo o envelhecimento precoce. Além disso, os cabelos também se tornam mais opacos e quebradiços.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados