Hemácias

As hemácias são células anucleadas presentes no nosso sangue que atuam no transporte de oxigênio e gás carbônico pelo corpo.

Hemácias
As hemácias são células do sangue que apresentam formato de disco bicôncavo

O sangue é um tecido com rios tipos celulares que desempenha importantes funções no organismo. A composição do sangue é, basicamente, água e apresenta-se em duas porções: o plasma e os elementos celulares. Entre os elementos celulares do sangue, destacam-se os glóbulos vermelhos, também conhecidos como eritrócitos ou hemácias.

→ Características das hemácias ou eritrócitos

As hemácias são as células encontradas em maior quantidade no sangue de uma pessoa e sua concentração normal média é de 5 milhões por microlitro de sangue. Essas células destacam-se pela ausência de núcleo, por isso, são chamadas de anucleadas. Por causa dessa característica, as hemácias não apresentam capacidade de divisão e morrem em aproximadamente 120 dias.

A hemácia possui formato de disco bicôncavo e em seu interior encontra-se a proteína hemoglobina, relacionada com o transporte de gases. Em ambiente isotônico, as hemácias costumam apresentar 7,5 μm de diâmetro, 2,6 μm de espessura na borda e 0,8 μm na região central.

O formato bicôncavo das hemácias facilita as trocas gasosas por aumentar a superfície da célula. Sua forma deve-se à presença de proteínas estruturais no citoesqueleto. Quando essas proteínas apresentam alguma anormalidade, o formato das hemácias é comprometido.

→ Função das hemácias

As hemácias estão relacionadas com o transporte de O2 e CO2. É graças à presença de hemácias que nosso organismo consegue levar oxigênio (O2 ) a todas as células do corpo e garantir que o gás carbônico (CO2) seja levado até os pulmões para ser eliminado posteriormente. Dá-se o nome de oxiemoglobina à hemoglobina ligada ao oxigênio e de carboemoglobina à hemoglobina ligada ao gás carbônico.

→ Formação e destruição das hemácias no corpo humano

As hemácias são formadas na medula óssea vermelha. Inicialmente, essas células estão imaturas e são chamadas de reticulócitos. Em geral, essas hemácias imaturas estão presentes em pequenas quantidades no sangue e correspondem a 0,5% a 2,5% do número de hemácias existentes em adultos.

Algumas vezes, o número de reticulócitos aumenta exageradamente no corpo, o que indica que as hemácias estão morrendo rapidamente e a medula está tentando compensar essa perda. O aumento dessas células imaturas pode ser consequência de hemorragia ou alguma doença. Vale frisar que o caso contrário também é possível, assim, pessoas com número reduzido de reticulócitos estão com diminuição na produção de hemácias.

Durante seu desenvolvimento, a hemácia perde o núcleo e as organelas, deixando de ter, assim, a capacidade de renovar suas moléculas. Cerca de 120 dias depois de ser produzida, a hemácia é digerida por macrófagos, e esse processo ocorre geralmente no baço.

→ Anemia

A anemia é um problema relacionado com as hemácias do sangue. Essa doença ocorre quando a hemoglobina está presente em pouca quantidade ou, então, não é eficiente ou, ainda, quando as hemácias reduzem-se de maneira acentuada. A redução da hemoglobina ou das hemácias leva a uma redução da oxigenação nos tecidos.

As anemias possuem causa diversa, como hemorragias e alimentação deficiente. Seus sintomas principais podem ser fraqueza, cansaço, falta de ar e palpitações.

Além desse tipo de anemia, não podemos esquecer a anemia falciforme, um tipo de doença hereditária. Nessa anemia, as hemácias apresentam-se em formato de foice, o que impede o transporte correto de gases nessas células e pode causar obstrução do fluxo sanguíneo. Outra característica dessa doença é que as hemácias morrem prematuramente.

Tags Relacionadas

Assuntos Relacionados