Os Rins
A estruturação interna esquemática do Rim.
Os rins são órgãos filtradores do sistema excretor (osmoregulador) ou sistema urinário humano, alojado aos pares na cavidade abdominal, acomodados na região dorsal corporal, sendo cada um posicionado lateralmente à coluna vertebral, situados abaixo do diafragma e protegidos pelas costelas flutuantes e por uma camada adiposa.

Cada rim possui aproximadamente 11cm de comprimento, 05cm de altura, 03cm de espessura e peso médio em uma pessoa adulta igual a 150g, apresentando morfologia reniforme (forma que lembra um grão de feijão), e coloração vermelho-escuro, formados por unidades denominadas nefrôns (cerca de 1 milhão por rim).

Esse órgão é revertido por um tecido fibroso (um compartimento conjuntivo), protegendo o córtex da adrenal (camada mais externa contendo os nefrôns), delimitando a medula renal (interstício interno) que recepciona projeções emitidas pelo córtex (as colunas renais), diferenciando porções cônicas da medula chamadas pirâmides.

Com a base direcionada para o córtex e o ápice para a medula, terminando em papilas renais, as pirâmides funcionam como funis que desembocam nos ductos coletores de urina, até atingir a pelve renal e o ureter.

O Sangue chega aos rins através de artérias renais, que se ramificam em muitas arteríolas conectadas aos néfrons, e sai dos rins pelas veias renais que se unem à veia cava inferior.

De sua região externa abaulada, encontram-se os ureteres, coletando e conduzindo a urina em direção à bexiga urinária, acumulando e lançando a urina para o exterior por meio da uretra.

Caso os nefrôns não funcionem corretamente, as impurezas se acumulam no organismo, causando intoxicação por excesso de uréia, uma substância nitrogenada tóxica, produto do metabolismo celular.

Um nefrôn é composto de duas partes: o corpúsculo renal e o túbulo renal.

Nos corpúsculos, voltados para o córtex renal, estão os glomérulos renais (ou de malpighi) formado por um emaranhado de capilares envolvidos pela cápsula chamada de Bowman, onde ocorre a filtração.

Durante a filtração, a pressão sangüínea expele dos capilares glomerulares algumas substâncias: água, pequenas partículas e moléculas (sais, glicose e aminoácidos), dissolvidas no plasma e coletados pelos túbulos contorcidos proximais, passando pela alça de Henle, desembocando nos ductos coletores através do túbulo contorcido distal.

Nos túbulos renais, conforme a necessidade para o controle osmótico do organismo, pode ocorrer reabsorção de substâncias (transporte ativo) a partir de uma trama de capilares que envolvem tanto a porção proximal e distal, absorvendo substâncias do filtrado glomerular.
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados