Você está aqui Mundo Educação Biologia Animais Pangolim, um animal em risco de extinção

Pangolim, um animal em risco de extinção

O pangolim é um mamífero encontrado na Ásia e África que apresenta grande risco de extinção em razão da caça ilegal.

Pangolim, um animal em risco de extinção
O pangolim apresenta um corpo recoberto por escamas característico

O pangolim é um mamífero da ordem Pholidota e da família Manidae que se caracteriza por uma típica armadura escamosa que se assemelha a uma alcachofra. Existem oito espécies diferentes distribuídas na Ásia e África, onde são responsáveis pelo controle de algumas pragas, tais como formigas e cupins, em virtude de seu apetite insaciável.

Quatro espécies de pangolins vivem na África: Phataginus tetradactyla, Phataginus tricuspis, Smutsia gigantea e Smutsia temminckii. As outras quatro espécies são encontradas na Ásia: Manis crassicaudata, Manis culionensis, Manis javanica e Manis pentadactyla.

Os pangolins são considerados os mamíferos mais traficados do mundo, e todas as espécies encontram-se ameaçadas de extinção. A carne e escamas desse animal são usadas, principalmente pelos chineses, para a fabricação de medicamentos e alguns alimentos. Na China, acredita-se que o animal possa curar uma série de doenças e ajudar a melhorar o desempenho sexual, propriedades que contribuem para a caça indiscriminada.

Com coloração variada, que vai do amarelo ao marrom, os pangolins possuem peso máximo de 33 kg e uma grande língua, o que os torna semelhantes aos tamanduás. Os machos normalmente são mais pesados que as fêmeas, o que confere um dimorfismo sexual.

Como já ressaltado, esses animais se alimentam de cupins e formigas, que localizam graças ao seu olfato apurado. Estima-se que um pangolim adulto coma, em média, 70 milhões de insetos anualmente.

Eles possuem patas fortes e garras especializadas para criar tocas e destruir formigueiros e cupinzeiros. São animais bastante adaptados a criar tocas subterrâneas. As espécies de áreas temperadas passam o inverno protegidas nos buracos por elas criados. Essas tocas, geralmente, são feitas perto de fontes de alimentos.

Os pangolins são animais noturnos e solitários, o que dificulta a observação de seus hábitos de vida. Ao se sentirem ameaçados, enrolam-se completamente, colocando as patas dianteiras sobre a cabeça e expondo suas escamas, que são formadas por queratina. São corredores e nadadores ágeis.

A maturidade sexual é atingida por volta dos dois anos de idade. A fêmea normalmente gera apenas um filhote, o qual a mãe protege em tocas de nidificação. Os pangolins jovens apresentam tamanho reduzido e escamas suaves, que começam a endurecer por volta do segundo dia de vida.

Passado aproximadamente um mês após o nascimento, o bebê pangolim inicia sua alimentação com insetos. No início, sua busca por alimentos é feita acompanhada da mãe. O animal fica agarrado na base da cauda da fêmea.

Atenção: O comércio de pangolim está proibido desde 2002.

Assuntos Relacionados