Você está aqui Mundo Educação Biologia Ecologia Principais desastres ambientais causados pelo homem no Brasil

Principais desastres ambientais causados pelo homem no Brasil

Os desastres ambientais causados pelo homem no Brasil são vários, destacando-se como mais recente o acidente em Mariana (MG).

Principais desastres ambientais causados pelo homem no Brasil
Um dos acidentes mais marcantes do Brasil foi com o Césio-137 em Goiânia

Frequentemente o homem é responsável por causar danos ao meio ambiente, danos esses que não atingem apenas plantas e animais, causando impacto negativo também na água, no solo e no ar. Quando realizamos uma atividade, estamos cientes de que ela pode trazer impacto negativo ao ambiente e é por isso que medidas de prevenção de acidentes são necessárias. O problema ocorre quando essas medidas falham.

Os desastres ambientais que ocorreram no Brasil e no mundo são consequência, principalmente, da estrutura precária de algumas instalações e falta de manutenção constante para evitar o risco de acidentes. Isso poderia ser resolvido com leis mais severas e maior consciência por parte das empresas. A seguir listaremos alguns dos principais desastres ambientais causados pelo homem no Brasil e como esses acidentes prejudicaram a população e o meio ambiente como um todo.

→ Acidente com o Césio-137

O acidente com Césio-137, considerado o maior acidente radioativo do Brasil, ocorreu em setembro de 1987, em Goiânia. Nessa ocasião, dois catadores de lixo encontraram um aparelho de radioterapia em um prédio abandonado. Acreditando que o aparelho lhes renderia uma boa quantia em dinheiro, levaram o objeto até a casa de um deles e, posteriormente, venderam-no para o dono de um ferro-velho. No ferro-velho, o equipamento foi aberto e observou-se no seu interior um pó brilhante de coloração azulada: o cloreto de césio-137. Sem saber do que se tratava e encantado pela cor do césio, o dono do ferro-velho levou-o para casa e mostrou para várias pessoas de sua família e amigos. Todas as pessoas que tiveram contato com o produto tiveram sinais de intoxicação. Diante disso, o material foi levado para análise e descobriu-se que se tratava de um produto radioativo. Oficialmente foram registradas quatro mortes em consequência do césio, mas várias outras pessoas sofreram com os efeitos da radiação.

→ Vazamento de óleo na Baía de Guanabara

O vazamento de óleo na Baía de Guanabara ocorreu em 18 de janeiro de 2000 como consequência do rompimento de um duto que ligava a Refinaria Duque de Caxias ao terminal Ilha d'água, na Ilha do Governador. Esse incidente ficou conhecido como um dos maiores acidentes ambientais ocorridos no Brasil e destacou-se pela grande quantidade de óleo derramado – cerca de 1,3 milhão de litros. Esse grande vazamento matou praticamente todo o ambiente marinho da região, afetando diretamente a economia, já que vários pescadores tiveram que abandonar a área que antes era rica em peixes.

→ Vazamento de óleo na Bacia de Campos

No dia 08 de novembro de 2011, a petroleira norte-americana Chevron foi responsável por um derramamento de óleo de grandes proporções na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. O vazamento foi intenso e matou diversas espécies de animais, tais como peixes, mamíferos e aves marinhas. Acredita-se que foram liberados no mar cerca de 3.700 barris de óleo.

→ Rompimento da barragem de Mariana

O acidente de Mariana ocorreu em 05 de novembro de 2015 quando a barragem da mineradora Samarco rompeu e liberou uma grande quantidade de lama, que destruiu o distrito de Bento Rodrigues, no município de Mariana, Minas Gerais. O corpo de 18 vítimas foram encontrados após o acidente, e uma pessoa ainda continua desaparecida. Além das perdas humanas, o acidente teve grande impacto ambiental, uma vez que grandes regiões ficaram cobertas de lama e rios foram atingidos pelos rejeitos. Nesse acidente, várias espécies morreram, tanto de plantas quanto de animais e micro-organismos. Além disso, a grande quantidade de resíduos afetou o solo e os rios. De acordo com especialistas, o rio Doce, o mais atingido, precisará de cerca de dez anos para se recuperar completamente do desastre.

Tags Relacionadas

Assuntos Relacionados