Você está aqui Mundo Educação Biologia Botânica Transpiração nas plantas

Transpiração nas plantas

A transpiração é um processo no qual a planta libera água no estado gasoso. Esse processo pode ser bastante prejudicial se ocorrer em excesso.

Transpiração nas plantas
Transpiração da planta e a condensação da água no recipiente

Muitas pessoas não sabem, mas as plantas também perdem água por transpiração. Na realidade, elas perdem muito mais água que os animais, por isso, elas consomem muito mais desse produto. Estima-se que os vegetais percam 99% da água absorvida para o meio na forma de vapor, ou seja, pela transpiração.
 

Onde a transpiração ocorre?

A transpiração ocorre em qualquer parte da planta que esteja acima do solo, entretanto, a maior parte da transpiração acontece nas folhas. A maior perda de água ocorre pelos estômatos, pequenas aberturas circundadas por células-guarda situadas na epiderme. Uma pequena parte de água é também perdida pela cutícula e pelas lenticelas.

A transpiração estomática ocorre em duas etapas:

1. Evaporação da água que está presente na superfície da parede celular das células que circundam os espaços intercelulares das folhas;

2. Vapor de água difunde-se para a atmosfera pelos estômatos.

Percebe-se, portanto, que a abertura e o fechamento estomático estão diretamente relacionados com o processo de transpiração. Quando o estômato fecha-se, ocorre a diminuição da perda de água pelas folhas, entretanto, ao se fechar, o estômato impede a entrada do gás carbônico, o qual é fundamental para a realização da fotossíntese. Para resolver essa questão, algumas plantas realizam suas trocas gasosas durante a noite.
 

A transpiração é um processo ruim para a planta?

A transpiração, se ocorrer em excesso, pode ser extremamente prejudicial, pois a perda exagerada de água pode levar a planta à desidratação. Mesmo assim, esse processo é necessário. Como dito, a transpiração está diretamente relacionada com a captação do gás carbônico. A não captação afeta a taxa fotossintética. Vale salientar, no entanto, que o gás carbônico é também produzido pelo vegetal no processo de respiração, o que garante a realização da fotossíntese em níveis baixos, quando os estômatos estão fechados.

A transpiração também é importante para garantir a circulação de seiva bruta no corpo da planta, uma teoria chamada de tensão-coesão. De acordo com essa teoria, a água do xilema é praticamente puxada para repor a água perdida na transpiração.
 

Fatores que influenciam a taxa de transpiração

Alguns fatores afetam a taxa de transpiração, além da já citada abertura e fechamento dos estômatos. Veja:

  • Temperatura: O aumento da temperatura aumenta a taxa de transpiração;

  • Umidade: A umidade causa uma diminuição da taxa de transpiração;

  • Correntes de ar: O vento seco aumenta a taxa de transpiração.

Não podemos nos esquecer também de fatores da própria planta, tais como superfície de evaporação, espessura da cutícula e presença de tricomas. Esses últimos diminuem a temperatura da folha, reduzindo a perda de água.

Assuntos Relacionados