Você está aqui Mundo Educação Curiosidades Espinho ou espinha?
Espinho ou espinha?
Espinho ou espinha de peixe?

Não são raras as vezes em que as palavras “espinha”  e “espinho” são utilizadas como se fossem sinônimos. No entanto, elas se referem a conceitos diferentes e, nesse contexto, nada melhor do que a Biologia para apontar alguns exemplos.


Espinha

1- Nome comum dado à inflamação dos folículos pilosos de certas regiões da pele, denominada acne.
 

Espinha, também chamada de acne.
Espinha, também chamada de acne.


2 - Nome dado aos ossos finos e pontiagudos, formados principalmente por carbonato de cálcio, que compõem o esqueleto de peixes ósseos. São facilmente encontrados quando nos alimentamos de espécies pertencentes a esse grupo.


Chamamos de espinha os ossos mais finos de certos peixes.
Chamamos de espinha os ossos mais finos de certos peixes.


3 - Forma comum de se referir à coluna vertebral, também chamada de espinha dorsal, ou coluna espinhal (ou espinal). Formada por ossos menores, denominados vértebras, alternados pelos discos invertebrais; uma de suas principais funções é proteger a medula espinhal (ou espinal). Além disso, ela dá sustentação ao corpo, também conferindo certa flexibilidade, graças aos discos invertebrais.


A coluna vertebral também é chamada de espinha.
A coluna vertebral também é chamada de espinha.


4 - O nome espinha, acompanhado pelo termo “bífida”, diz respeito a uma anormalidade congênita do sistema nervoso, caracterizada pela má-formação do tubo neural.


Espinho

1 - Nome dado a estruturas pontiagudas encontradas em algumas plantas, geralmente no caule, protegendo a planta, principalmente contra predadores. Trata-se de folhas ou ramos modificados.


Espinho do limão.
Espinho do limão.


2 - Nome dado a estruturas pontiagudas encontradas no corpo de alguns animais, com a principal função de defendê-los contra predadores. 


Espinhos do ouriço-do-mar.
Espinhos do ouriço-do-mar.


Importante:

Acúleos, estruturas pontiagudas localizadas na epiderme de algumas plantas, são muitas vezes confundidos com espinhos. Uma forma de diferenciá-los é reconhecendo que os acúleos são facilmente destacáveis da planta, uma vez que são mais superficiais. Os “espinhos” da roseira, por exemplo são, na verdade, acúleos.


 Acúleos não são espinhos!
Acúleos não são espinhos!



Por Mariana Araguaia
Bióloga, especialista em Educação Ambiental

Assuntos Relacionados