Você está aqui Mundo Educação Curiosidades Negócio da China

Negócio da China

Negócio da China
A expressão “negócio da China” tem origem no contato comercial entre Ocidente e Oriente.

Desde a Antiguidade, as atividades comerciais tiveram grande importância no desenvolvimento de certas civilizações. Mais do que garantir riqueza e bons lucros, a circulação de mercadorias também promovia um rico intercâmbio entre culturas distantes. A expansão da classe mercantil árabe, por exemplo, permitiu que vários hábitos alimentares e outras formas de conhecimento contribuíssem para o desenvolvimento da ciência no mundo ocidental.

Nos fins da Idade Média, a consolidação da burguesia européia realizou a integração entre Ocidente e Oriente por meio de longas rotas terrestres e marítimas que buscavam as cobiçadas especiarias oriundas desta região. Até que a expansão marítimo-comercial ocorresse no início do período moderno, a busca pelas sedas, temperos, ervas, óleos e perfumes orientais era o grande “negócio da China” para os mercadores daquela época.

Ainda hoje, a expressão “negócio da China” é usualmente utilizada quando alguém obtém algum tipo de acordo bastante vantajoso. De fato, a concepção desse termo remonta o grande interesse que os comerciantes da Europa tinham em buscar as mercadorias oferecidas pelos chineses e outros povos asiáticos. No século XV, por exemplo, a Coroa Portuguesa conseguiu alcançar um lucro superior a 6000% com a venda de produtos obtidos na Índia.

Chegando ao século XIX, essa expressão também ganha força no momento em que a economia capitalista vivia um período de visível expansão. Nessa época, os britânicos cobiçavam a exploração do vasto mercado consumidor chinês, assim como o uso de suas matérias-primas e a numerosa força de trabalho disponível. Para tanto, era necessário que tivessem um grande poder de interferência nas instituições daquela nação.

Indiferentes às demandas da Inglaterra, os chineses não tinham o mínimo interesse em abrir portas para que os britânicos participassem do cenário político do seu país. Foi então que a Coroa Britânica decidiu invadir a China na série de conflitos que marcaram as Guerras do Ópio, ocorridas entre 1839 e 1860. Após subjugarem as autoridades daquele país, os ingleses passaram a estabelecer diversos monopólios comerciais que lhe garantiram um polpudo “negócio da China”.

Por Rainer Sousa
Mestre em História

Assuntos Relacionados