Você está aqui Mundo Educação Doenças Arteriosclerose
Arteriosclerose
o aumento da placa de gordura pode interromper o fluxo sanguíneo, causando infarto do miocárdio ou derrame
A Arteriosclerose, principal causa de morte no mundo ocidental, consiste na perda da elasticidade da parede das artérias.

Este processo ocorre de forma gradual e é causado, principalmente, por acúmulo de placas de gordura no interior destas. Essas placas, denominadas ateromas, comprometem a elasticidade por enrijecer as paredes das artérias, além de diminuir seus calibres. Tal tipo de arteriosclerose é denominado aterosclerose.

Na ateroslerose, as ateromas podem levar a um aumento da pressão arterial na sístole e diminuição desta na diástole e formação de coágulos e obstruções arteriais, uma vez que comprometem as artérias de grande e médio calibre trazendo, inclusive, um déficit sanguíneo aos tecidos irrigados por elas.

A arteriosclerose pode ocorrer em qualquer região do corpo, sendo mais grave quando acomete as carótidas, coronárias e região das pernas. No primeiro caso, pode provocar derrame cerebral e no segundo, fortes dores no peito e enfarte do miocárdio. Nas pernas, além de dor, pode bloquear o fluxo sanguíneo desta região, podendo ser necessária a amputação do membro. Este tipo de arteriosclerose é denominado arteriosclerose obliterante (ASO) e metade das pessoas afetadas por ela sofrem de outro problema cardíaco.

São consideradas parte do grupo de risco pessoas do sexo masculino, de idade entre 50 e 70 anos, indivíduos com taxas elevadas de colesterol, obesos, fumantes, hipertensos, sedentários e pessoas com histórico familiar propenso à doença.


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Tags Relacionadas Arteriosclerose morte perda

Assuntos Relacionados