Você está aqui Mundo Educação Doenças Choque anafilático

Choque anafilático

Choque anafilático
A figura mostra angioedema nos lábios, língua e olhos, e urticária pelo corpo – alguns dos sintomas apresentados pelo choque anafilático

O choque anafilático, também chamado de anafilaxia ou reação anafilática, é uma reação alérgica grave e potencialmente fatal desencadeada por diversos agentes, como drogas, alimentos, venenos de alguns animais, medicamentos, etc. É importante salientar que para que ocorra o choque anafilático, a pessoa precisa ser alérgica a um dos agentes causadores citados anteriormente.

O choque anafilático ocorre quando a pessoa entra em contato com alguma substância que excita o sistema imunológico, fazendo com que ocorra uma reação exagerada do organismo, produzindo convulsões, inconsciência ou acidente vascular cerebral no período de segundos ou uma hora após a exposição à substância.

O quadro típico do choque anafilático é o de um colapso cardiorrespiratório, no qual a pessoa fica com dificuldade para respirar, sudorese intensa, hipotensão, palidez, corpo frio, pulso rápido, chiado ao respirar, desmaio, urticária (caracterizada por placas avermelhadas distribuídas pelo corpo) e angioedema (inchaço da pele, mais comum ao redor dos olhos, nos lábios e língua). Nos casos de reações alérgicas, o edema mais perigoso é o edema de glote, também conhecido como edema de laringe, em que ocorre o inchaço na região da glote, no esôfago, impedindo a passagem do ar.

Uma vez em choque, a pessoa deverá ser atendida imediatamente por uma ambulância, pois a oferta de oxigênio por máscara e a administração de adrenalina devem ser imediatas e simultâneas. Se o atendimento não ocorrer a tempo, o indivíduo pode morrer. Alguns pacientes que já têm conhecimento de sua alergia costumam ter medicação antialérgica sempre em mãos para alguma emergência – se for o caso, dê a medicação à pessoa o quanto antes.

Se o paciente apresentar edema de glote, o qual impede a passagem de ar, será necessária uma cricotireoidotomia, em que o paciente respira por aparelhos para manter a integridade cerebral, até que a situação volte ao normal.

Assuntos Relacionados

Comentários