Você está aqui Mundo Educação Doenças Hipofosfatemia

Hipofosfatemia

A hipofosfatemia é caracterizada por uma diminuição do nível de fósforo no plasma sanguíneo.

Hipofosfatemia
O leite é um alimento rico em fósforo que deve fazer parte da nossa dieta

O fósforo é um elemento presente no nosso corpo tanto na forma orgânica como na forma inorgânica. Essa substância é encontrada principalmente nos ossos e no compartimento intracelular, entretanto, mesmo em menor quantidade, o fosfato sérico é extremamente importante para diversas atividades da célula.

Hipofosfatemia é uma doença que se caracteriza por um nível de fósforo plasmático em quantidade inferior a 2,5 mg/dl. Pode acometer pessoas hospitalizadas e pacientes na UTI, nesse último caso, acredita-se que afete cerca de 29% dos pacientes. Também é comum atingir pessoas submetidas à diálise, desnutridas, alcoólatras e com infecção por bactérias gram-negativas.

Entre as causas dessa deficiência, destacam-se o aporte insuficiente de fósforo, diminuição da absorção gastrointestinal e aumento da excreção urinária. O aporte insuficiente está intimamente relacionado com os casos de desnutrição e anorexia. A diminuição da absorção pode ser causada por vômitos frequentes, bem como o uso crônico de medicamentos antiácidos, além de diarreias crônicas. Já o aumento da excreção urinária relaciona-se com doenças como hiperparatireoidismo e anemia de Fanconi.

Essa patologia é geralmente assintomática, ou seja, não apresenta sintomas, dificultando assim o diagnóstico precoce. Em casos mais sérios da doença, são observados quadros de fraqueza muscular, frequentemente atingindo a musculatura respiratória e ocasionando hipoxemia e acidose respiratória. São comuns os casos de insuficiência respiratória associada com quadros de hipofosfatemia. Além desses sintomas, podem ocorrer miocardiopatia, disfunção leucocitária, reabsorção óssea, hipoglicemia, irritabilidade, vertigens, convulsões e até mesmo coma.

Vale destacar que apesar de a hipofosfatemia ser caracterizada por níveis abaixo de 2,5mg/dl, os sintomas só surgem quando o paciente apresenta valores inferiores a 1 mg/dl, o que caracteriza uma hipofosfatemia severa. Os sintomas surgem em virtude de uma diminuição de 2,3-difosfoglicerato e da síntese de ATP.

Para corrigir essa deficiência de fósforo, recomenda-se a reposição intravenosa em casos mais graves da doença. Já para casos mais leves, recomenda-se apenas a suplementação com solução oral. Na suplementação oral, são observados frequentemente casos de diarreia moderada.

Lembre-se sempre de que uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis, como não ingerir bebidas alcoólicas, podem ser a chave para a prevenção de diversas doenças. Além disso, procure seu médico regularmente para exames de rotina e, caso sinta algum mal-estar, o diagnóstico precoce pode evitar complicações decorrentes de algumas enfermidades.

Assuntos Relacionados