Pediculose pubiana
Lêndeas e indivíduos adultos de Phthirus pubis, localizados nos cílios de paciente.

A pediculose pubiana, ou ftirose, se caracteriza pela presença do artrópode hematófago Phthirus pubis, conhecido popularmente como “chato”, na região pubiana. Esta é considerada por alguns médicos e pesquisadores como a mais contagiosa das DSTs, sendo mais comum em pessoas promíscuas e/ou com hábitos de higiene precários.

Caracterizada por coceira, urticária, manchas cinza-azuladas na pele, e presença de lêndeas e indivíduos adultos no púbis, esta doença é transmitida também pelo uso de roupas, lençóis e toalhas de um indivíduo infestado. Estes piolhos podem, também, colonizar a raiz dos pelos das axilas, tronco, abdome, coxas e sobrancelhas, de acordo com o grau de infestação.

Complicações, como reações alérgicas, infecção purulenta da pele, dermatite e impetigo podem ocorrer, mas tais manifestações são raras.

Para tratamento, é recomendada a remoção manual dos artrópodes, corte dos pelos e uso de fármacos, como a solução de Lindane a 1%, no púbis e áreas das coxas, tronco e axilas, por duas noites consecutivas, e repetindo o procedimento entre sete e dez dias depois. Parceiros sexuais também devem adotar essa última medida.

Para evitar a re-infestação, aconselha-se descartar as roupas infestadas e adoção de bons hábitos de higiene. 

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia




Assuntos Relacionados