Teoria do Caos

A Teoria do Caos determina que mínimas mudanças no início de um evento podem gerar profundas alterações futuras, o que tornaria o sistema caótico e imprevisível.

Teoria do Caos
A Teoria do Caos afirma que o simples bater das asas de uma borboleta no Brasil pode gerar um furacão no Texas

A Teoria do Caos diz que mudanças insignificantes no início de um determinado evento podem gerar mudanças profundas no futuro, o que tornaria o sistema caótico e impossível de ser previsto. Essa teoria está relacionada, por exemplo, com as variações do mercado financeiro, mudanças climáticas e com o crescimento populacional.

Imagine a situação a seguir: João estava indo de moto prestar o vestibular para ingressar em uma determinada universidade. No meio do caminho, um prego furou o pneu de sua moto, impedindo-o de chegar a tempo de realizar as provas, por isso, João ingressou em outra universidade. O local, as pessoas com as quais conviveu e relacionou-se, as oportunidades de emprego e estágio poderiam ter sido completamente diferentes se aquele prego não tivesse furado o pneu da moto de João naquele momento. O pequeno prego pode ter mudado completamente o futuro do jovem a ponto de alterar quem seriam seus filhos e netos!

Proposta da Teoria do Caos

Edward Lorenz, meteorologista do Massachusetts Institute of Technology – Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em 1960, percebeu, ao analisar os dados fornecidos a um programa de computador que fazia previsões climáticas, que a falta de algumas casas decimais provocava alterações drásticas nas previsões ao longo do tempo. Inicialmente, essa falta das casas decimais não gerava nenhuma mudança significativa, mas, a longo prazo, o acúmulo de resultados minimamente alterados gerou profundas mudanças no clima. Nas palavras de Lorenz, “o bater das asas de uma borboleta no Brasil pode gerar um furacão no Texas!”.

Depois de Lorenz, o matemático James York examinou as propriedades da chamada equação logística, que, entre outras coisas, pode fornecer um modelo para o crescimento populacional de uma cidade. Alterando-se pequenos fatores fornecidos à equação, grandes mudanças eram percebidas nos resultados finais.

Teoria do Caos abordada no cinema

Muitas produções cinematográficas trazem o conceito da Teoria do Caos. O clássico De volta para o Futuro (Back to the Future), de 1985, retrata a história do jovem Marty McFly (Michael J. Fox), que volta no tempo em uma máquina criada pelo cientista Emmett Brown (Christopher Lloyd). A interação de McFly com seus pais e conhecidos gera profundas mudanças no futuro, alterando a história da vida das pessoas e até do desenvolvimento da cidade.

A produção brasileira Homem do Futuro, de 2011, retrata a história do físico Zero (Wagner Moura). Ao criar uma estranha máquina, Zero volta aos tempos da faculdade e tenta conquistar sua amada, Helena (Alinne Morais). Sempre que Zero causa uma pequena alteração nos fatos passados, mudanças significativas ocorrem no futuro.

Existe aplicação real para essa teoria?

Por ser relativamente nova, a Teoria do Caos ainda é objeto de muitos estudos e análises. Porém, sabemos que ela está relacionada, por exemplo, com a compreensão de sistemas não lineares e com a impossibilidade da realização de previsões climáticas a longo prazo.

Tags Relacionadas

Assuntos Relacionados