Você está aqui Mundo Educação Geografia Países Afeganistão

Afeganistão

Afeganistão
Bandeira do Afeganistão

Localizado na Ásia Central, o Afeganistão faz fronteiras com o Turcomenistão (a noroeste), Uzbequistão (ao norte), Tadjiquistão (ao norte), China (a nordeste), Paquistão (a leste) e Irã (a oeste). O país possui extensão territorial de 652.090 quilômetros quadrados, com predominância do clima subtropical árido.

A população afegã totaliza 28,1 milhões de habitantes, sendo 24% residente em áreas urbanas e 76% em áreas rurais. Portanto, o Afeganistão é um país pouco urbanizado. A densidade demográfica é de 43 habitantes por quilômetro quadrado e o crescimento demográfico é de 3,4%. Cabul, capital do Afeganistão, é a cidade mais populosa, nela residem 2,5 milhões de pessoas. Outras cidades com grande concentração populacional são: Qandahar (450.300), Herat (349.000), Mazar-e Sharif (300.600).

A composição étnica da população está dividida em: pashtun (38%), tadjiques (25%), hazarás (19%), uzbequeis (6%), outros (12%). Os idiomas oficiais são, o dari e o pachto. O islamismo é a religião com o maior número de adeptos – 98%.

Economicamente, o país é extremamente pobre. A economia do Afeganistão tem na agricultura uma importante atividade, sendo a papoula (matéria-prima do ópio) o principal produto cultivado em terras afegãs, com destaque também para a criação de gado. O Produto Interno Bruto (PIB) do Afeganistão é de RS$ 10,2 bilhões e o PIB per capita é de RS$ 345. Portanto, a maioria da população vive com menos de 1 dólar por dia.

O país está em guerras há mais de três décadas consecutivas. Os guerrilheiros fundamentalistas islâmicos uniram-se na luta contra a invasão soviética de 1979 a 1989. Com a expulsão dos soviéticos, os diferentes grupos étnicos e religiosos entraram em confronto, desencadeando uma guerra política. A milícia Talibã assumiu o domínio de 90% do território nacional, transformando a nação em uma teocracia islâmica. No entanto, após os ataques terroristas realizados nos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001, provocou a invasão dos EUA, que derrotou a República Islâmica liderada pelo Talibã.

Esse período de guerra intensificou os problemas socioeconômicos do Afeganistão. De acordo com dados divulgados em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) afegão é um dos menores do mundo, com média de 0,349. A esperança de vida ao nascer é de 43,2 anos; a taxa de mortalidade infantil é de 165 óbitos a cada mil nascidos vivos; menos de 30% dos domicílios possuem saneamento ambiental e o analfabetismo atinge 65% dos afeganes.
Com todos esses problemas enfrentados pela população, o principal auxílio de organismos internacionais é o envio de tropas militares para o país, fato que agrava ainda mais os confrontos armados no território.

Assuntos Relacionados