Você está aqui Mundo Educação Geografia Geografia Física Agentes endógenos do relevo

Agentes endógenos do relevo

Os agentes endógenos do relevo são os elementos que atuam na transformação das formas externas a partir do interior da Terra.

Agentes endógenos do relevo
As áreas montanhosas são formadas, na maioria dos casos, por agentes endógenos do relevo

O relevo – modelado superficial da Terra – não é um elemento natural estático, mas é essencialmente dinâmico, embora nem sempre percebamos. Ao longo do tempo geológico, ele sofre com sucessivas e ininterruptas transformações que lhe dão novos contornos e novas características morfológicas, estruturais e de composição. Isso ocorre porque ele é continuamente transformado por diversos fatores, chamados de agentes de transformação do relevo ou, simplesmente, em agentes do relevo.

Os agentes endógenos do relevo são, portanto, os elementos naturais que alteram a forma do modelado superficial terrestre a partir de seu interior e, por isso, são também chamados de agentes internos de transformação do relevo. Esses agentes, mais precisamente, são: o tectonismo, o vulcanismo e os terremotos, de modo que os dois últimos encontram-se diretamente influenciados pelo primeiro.

1. Tectonismo

O tectonismo é conceituado como o conjunto de fenômenos relativos ao movimento das placas tectônicas, que nada mais são dos que as várias fissuras pelas quais se segmenta a crosta terrestre. A interação entre as diferentes placas provoca uma série de transformações gradativas nas formas de relevo, com a alteração, em muitos casos, da composição das rochas.

Em muitos casos, o choque entre duas placas tectônicas provoca a formação de áreas inclinadas e caracterizadas por serem composições geologicamente jovens, ou seja, formadas há cerca de 300 ou 400 milhões de anos. É o caso, por exemplo, da Cordilheira dos Andes (América do Sul), do Himalaia (na Ásia) e dos Alpes (na Europa), além de outros conjuntos de cadeias montanhosas, todas elas formadas em áreas de encontro entre duas placas. Em áreas onde predomina o tectonismo, podem ser formadas também as fossas oceânicas, que compõem os pontos mais profundos do oceano terrestre.

2. Vulcanismo

Nos pontos de choque e interação entre placas tectônicas é comum também a ocorrência de vulcanismos, que são importantes agentes de formação e alteração do relevo. Afinal, o magma expelido pelos vulcões na forma de lava nada mais é do que as rochas em temperaturas superiores ao ponto de fusão. Quando esse magma atinge a superfície, que apresenta temperatura ambiente, ele solidifica-se e converte-se em rochas, classificadas em ígneas extrusivas.

As formas de relevo oriundas das ações do vulcanismo são também consideradas geologicamente jovens, uma vez que as áreas mais antigas com esse tipo de gênese foram desgastadas pelos agentes externos do relevo, dando origem a solos muito férteis.

3. Terremotos

Os terremotos ou abalos sísmicos são movimentações abruptas da crosta terrestre, também causadas pela interação entre placas tectônicas, sobretudo por acomodações geológicas em pontos de contatos e a consequente liberação de energia. Eles promovem transformações abruptas no relevo, quase nunca previsíveis, embora ocorram em maior quantidade nas áreas de encontro entre duas placas.

Como se pode imaginar, as áreas impactadas por esse fenômeno sofrem com muitos estragos superficiais, podendo afetar locais de habitação humana e gerar grandes tragédias com muitos mortos. Em áreas oceânicas, os impactos gerados pelos terremotos podem provocar a formação de grandes tsunamis.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados