Você está aqui Mundo Educação Geografia Geografia humana do Brasil Atividade industrial na região Norte

Atividade industrial na região Norte

Atividade industrial na região Norte
Instalações da indústria de alumínio (Albrás), localizada na cidade paraense de Barcarena.
A região Norte abriga uma imensa riqueza natural, porém em nível de desenvolvimento industrial e econômico está entre as de menor expressão no cenário nacional.
Antes da década de 1960, a região praticamente não possuía indústrias, mas após esse período houve uma significativa ascensão do setor. Fato proporcionado por iniciativas do governo federal com o intuito de que empresas se instalassem na região e promovessem ali o desenvolvimento econômico e social.

Dentre os vários projetos aplicados na região, gerenciados pelo governo federal, o principal foi a criação e implantação da Zona Franca de Manaus (parque industrial instalado na cidade de Manaus). O nome dado ao distrito industrial advém do fato que as indústrias não pagam impostos sobre os produtos comercializados, assim, em razão da busca constante por lucro, diversas empresas migraram para a região.

Diversos ramos de atividade industrial se estabeleceram no distrito, no entanto, os de maior destaque estão envolvidos na produção de eletroeletrônicos (computadores, celulares, televisores, relógios, aparelhos de DVDs, entre outros), além de fábricas de motos, bicicletas e móveis de madeira. Esses produtos têm como destino o abastecimento do mercado interno nacional, somente uma restrita parte é exportada.

Existe outro importante parque industrial na região, localizado na capital do Pará, Belém; onde se destaca a indústria de alimentos, bebidas, tecidos, entre outras. Além de uma importante empresa de processamento de minérios, localizada no município de Barcarena, a Albrás. Essa atua na fabricação de alumínio, produto derivado da bauxita.

As informações mostram evoluções nesse seguimento produtivo, mas está longe do ideal, a região ainda possui uma participação nacional muito modesta no setor, algo em torno de 5%.

Um fato que deve ser levado em consideração é que a isenção concedida pelo governo brasileiro para as empresas instaladas na Zona Franca de Manaus vence em 2013. Diante disso, há o receio de que as mesmas migrem para outros pontos do país, o que poderá causar problemas na economia local e também demissões em massa, tendo em vista que as empresas do distrito são responsáveis por cerca de 60 mil empregos diretos.

Assuntos Relacionados