Você está aqui Mundo Educação Geografia Cartografia Elementos que compõem um mapa

Elementos que compõem um mapa

Os elementos que compõem um mapa – fundamentais para a sua leitura – são: título, escala, legenda, orientação e projeção cartográfica.

Elementos que compõem um mapa
Os elementos dos mapas são itens necessários para a sua correta interpretação

Os mapas, como sabemos, formam um importante meio de comunicação, pois são os instrumentos utilizados para a representação de um dado local no espaço, transmitindo não só a localização, mas também as características diversas e previamente selecionadas sobre o lugar em questão. Por isso, existem diversos mapas temáticos, que abordam os elementos naturais e humanos do espaço geográfico.

Dessa forma, para facilitar a leitura e melhor transmitir as informações, existem alguns itens que são de extrema importância para que o cartograma seja mais facilmente lido: trata-se dos elementos que compõem um mapa, aqueles que estão presentes na maioria dos mapas produzidos, servindo como instrumentos de leitura e análise.

Os elementos que compõem um mapa, ou seja, as partes obrigatórias dos mapas, são: o título (e, às vezes, o subtítulo), as legendas, a escala, a orientação e a projeção cartográfica utilizada para a produção do referido documento. A seguir, poderemos observar um exemplo de mapa, disponibilizado pelo Atlas Geográfico Escolar do IBGE.

Mapa físico do continente europeu, um exemplo de cartograma com todos os seus elementos *
Mapa físico do continente europeu, um exemplo de cartograma com todos os seus elementos *

O título do mapa indica o tema ou assunto, bem como informações gerais como localidade, tempo (em caso de mapas históricos ou com precisão temporal necessária), além de qualquer outro tipo de informação que possa ser relevante para a compreensão daquilo que está sendo representado. É a primeira coisa que uma pessoa deve observar ao ler um mapa.

A legenda, por sua vez, é a especificação do significado atribuído aos símbolos presentes nos mapas. Esses podem apresentar-se em forma de ícones, cores, áreas, entre outras formas de representação. Alguns exemplos são clássicos, como um avião utilizado para representar um aeroporto, o azul utilizado para designar água ou curso d'água, além do verde utilizado na indicação de uma área de vegetação. No exemplo acima, o mapa utiliza uma sequência de cores para representar as diferentes altitudes e profundidades do relevo da Europa.

A orientação cartográfica indica os pontos cardeais que são necessários para que o leitor tenha uma correta noção da posição relativa da área indicada no mapa. Geralmente, ela apresenta-se nos mapas com uma seta apontando para o norte (N), mas também pode ser indicada por uma rosa dos ventos.

A escala, outro importante elemento, é a proporção matemática entre a área real e a sua respectiva representação cartográfica. Existem dois tipos de escala, a numérica e a gráfica, ambas presentes no exemplo do mapa acima.

Já a projeção cartográfica, geralmente indicada no mapa pelo seu nome (no exemplo acima é uma projeção ortográfica), é a forma ou a base cartográfica que o autor do mapa utilizou para representar uma parte da Terra, que é esférica, em um plano. Assim, o autor deve sempre escolher o tipo de projeção cartográfica que menos prejudicar o seu trabalho em termos de distorções do espaço representado.

Agora que conhecemos melhor os elementos que compõem um mapa, temos uma maior noção sobre as suas respectivas funções, o que nos ajuda a interpretar conceitos e documentos cartográficos com uma maior facilidade.

_______________________

* Fonte: IBGE. Atlas Geográfico Escolar. 6ª ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012 [com adaptações].

Assuntos Relacionados