Energia nuclear

A energia nuclear é obtida a partir do processo de fissão do núcleo de átomos pesados e responde pelo fornecimento de 15% da energia mundial.

Energia nuclear
As usinas nucleares são consideradas uma importante fonte de eletricidade no mundo atual

Em termos de fontes energéticas, a energia nuclear consiste na produção de eletricidade a partir do processo de fissão nuclear e, em consequência, da reação de fissão nuclear em cadeia, o que libera uma grande quantidade de calor (energia térmica). Nesse sentido, as usinas nucleares ou usinas termonucleares são consideradas, atualmente, uma entre as principais opções para o desenvolvimento dos lugares a partir do fornecimento de estrutura energética.

O processo de fissão nuclear – ou seja, a divisão do núcleo atômico – foi descoberto no ano de 1938 e inicialmente utilizado para fins bélicos, cujo resultado mais expressivo foi a produção das bombas atômicas, entre outras armas nucleares e radioativas. Posteriormente, os estudos científicos avançaram e desenvolveram formas de expandir o emprego dessa tecnologia para fins pacíficos, principalmente para a obtenção de eletricidade.

A fissão do núcleo de átomos pesados, ou seja, que possuem uma grande quantidade de prótons e nêutrons, libera muito calor, que poderia ser, então, aproveitado no processo de conversão de energia térmica em elétrica. Em termos de comparação, o Urânio-235 – principal material radioativo utilizado na fissão nuclear das usinas termonucleares – libera 80 mil vezes mais energia do que a queima do carvão mineral, que é o principal material utilizado nas usinas termoelétricas convencionais.

A construção e uso das usinas termonucleares expandiram-se consideravelmente a partir da década de 1960, atingindo, nos dias atuais, quase 15% de toda a produção mundial de energia. No entanto, os riscos apresentados em relação a acidentes radioativos e a possíveis impactos ambientais dificultam a expansão dessa fonte energética, uma vez que existe muita pressão no mundo inteiro por parte de governos, instituições e grupos socioambientais para conter a sua utilização.

Além disso, os países que optam por desenvolver métodos e tecnologias referentes à energia nuclear sofrem com a desconfiança da Comunidade Internacional sobre a possibilidade de desenvolverem também armas nucleares de destruição em massa. Portanto, além de problemas sociais e ambientais, essa fonte de energia também sofre com questões da esteira política. É o caso, por exemplo, do Irã, que, segundo ele, passou a desenvolver tecnologia nuclear somente para a produção de energia. Todavia, esse fato gerou certa desconfiança internacional, o que fez com que o país passasse a sofrer uma série de sanções comerciais e econômicas, principalmente por parte dos Estados Unidos e da União Europeia.

Mesmo com todos esses problemas referentes às desvantagens das usinas nucleares, elas continuam em expansão em todo o mundo. O maior produtor mundial são os EUA, seguidos pela França e pelo Japão, que dependem muito dessa tecnologia para a manutenção de suas infraestruturas socioespaciais. Os franceses, por exemplo, contam com a energia nuclear para o suprimento de aproximadamente 75% de toda a eletricidade consumida no país.

O Brasil investe em energia nuclear desde a segunda metade da década de 1960, de forma que a primeira usina termonuclear construída no país, chamada de Angra I, foi inaugurada no ano de 1974. Na década de 1980, por sua vez, iniciou-se a construção da usina de Angra II, cuja operação comercial ocorreu somente a partir de 2001 em razão das sucessivas paradas na execução das obras. Atualmente, encontra-se em operação o projeto para a construção da usina de Angra III, que, assim como as demais, encontra-se no estado do Rio de Janeiro.

Usina Nuclear de Angra I no estado do Rio de Janeiro
Usina Nuclear de Angra I no estado do Rio de Janeiro

Entre as vantagens das usinas nucleares, podemos citar o seu preço relativamente baixo em comparação a outras fontes, incluindo o petróleo; não emitem poluentes para a atmosfera; possuem um fácil transporte de suas matérias-primas; não ocupam grandes áreas; entre outros fatores. Já entre as desvantagens das usinas nucleares, podemos mencionar o fato de elas utilizarem fontes não renováveis; os riscos de acidentes; a poluição térmica dos rios gerada pelo descarte da água empregada nas usinas; o alto preço em termos de investimentos; além da dificuldade de descarte do lixo radioativo gerado.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados