Metrópole

A metrópole corresponde aos principais pontos de representação da economia capitalista sobre o meio urbano e geográfico.

Metrópole
Nova York, o principal exemplo de metrópole no mundo

Uma metrópole é um tipo de cidade responsável por gerar uma grande dependência econômica, política e social em outras localidades e regiões. Ela costuma agregar um entorno formado por duas ou mais cidades, que configuram a sua área ou região metropolitana, processo quase sempre efetuado por um intenso processo de conurbação, ou seja, a junção física do espaço urbano de dois ou mais municípios adjacentes.

Dessa forma, podemos entender que uma metrópole representa uma ideia de hierarquia, sobre a qual se configura a rede de cidades. Nesse caso, as metrópoles encontram-se nas partes mais altas dessa composição hierárquica, gerando um campo de dependência e subordinação econômica. Mais do que simplesmente “grandes cidades”, as metrópoles possuem uma qualidade ou uma superioridade estrutural, o que é um demonstrativo de sua força e poderio.

Em termos gerais, as metrópoles funcionam como polos ou zonas centrais, capazes de receber uma grande quantidade de investimentos através da fixação de grandes empresas (sejam as suas filiais ou suas sedes administrativas), conglomerados industriais, pontos de administração de multinacionais, entre outros casos. Por isso, elas costumam possuir uma grande quantidade de habitantes, haja vista a maior disponibilidade de emprego.

Há, no entanto, uma série de tipos ou de grandezas entre essas metrópoles. Algumas delas possuem uma rede de influência tão vasta que atingem inúmeras outras metrópoles, tanto do seu país quanto de outros lugares no mundo. Outras, por outro lado, limitam-se a centralizar uma pequena ou mediana região geográfica.

Por esse motivo, as metrópoles costumam ser classificadas conforme o seu nível de grandeza e complexidade geográfica e econômica, em uma distinção que vai das cidades globais a metrópoles regionais:

Metrópoles globais: são cidades que polarizam em torno de si uma área que vai além do território nacional, expandido sua influência geoeconômica para outros países e continentes. Entre as metrópoles globais há, inclusive, uma hierarquia interna, com grandes centros mundiais que exercem influência sobre todo o mundo, tais como Nova York, Londres, Tóquio e Paris, e outros centros que polarizam ações em um nível um pouco menos abrangente, a exemplo de São Paulo, Rio de Janeiro, Joanesburgo, Cidade do México, entre outras.

São Paulo é também um exemplo de metrópole global
São Paulo é também um exemplo de metrópole global

Metrópoles nacionais: são cidades que polarizam apenas áreas urbanas localizadas no território nacional, com pouco ou nenhum peso sobre a atividade econômica de outros países, com exceção de nações cujo território é muito pequeno. Essas metrópoles, no entanto, interligam-se indiretamente à cadeia econômica internacional por meio das grandes metrópoles de seus países. No Brasil, os principais exemplos são Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Salvador, Recife, entre outros.

Belo Horizonte é uma importante metrópole nacional
Belo Horizonte é uma importante metrópole nacional

Metrópoles regionais: como o próprio nome indica, são cidades que atingem diretamente uma área territorial limitada, com uma região de entorno não muito abrangente. Mesmo assim, essas metrópoles costumam apresentar um elevado grau de crescimento populacional e econômico, podendo, futuramente, alcançar um nível mais alto nessa hierarquia. São exemplos de metrópoles regionais Goiânia, Belém, Manaus e Campinas.

A cidade de Salvador é uma metrópole regional
A cidade de Salvador é uma metrópole regional

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados