Você está aqui Mundo Educação Geografia Geografia Física Núcleo terrestre

Núcleo terrestre

O núcleo terrestre é a camada interna da Terra com os maiores níveis de pressão e temperatura. É subdividido em núcleo interno e externo.

Núcleo terrestre
Imagem conceitual esquemática do núcleo terrestre

Sabemos que o planeta Terra é subdividido em três principais camadas (crosta, manto e núcleo) e duas descontinuidades (Mohorovicic e Gutenberg). A seguir, tentaremos expor melhor como funciona a mais interna dessas estruturas com a compreensão das principais características do núcleo terrestre.

O núcleo corresponde a, aproximadamente, um terço de toda a massa terrestre, apresentando as maiores temperaturas do interior do nosso planeta e profundidades que vão desde os 2900 km até os 6370 km. Ele pode ser subdividido em duas subcamadas, classificadas conforme os seus respectivos estados físicos: o núcleo interno e o núcleo externo.

O núcleo externo é líquido, com uma fluidez muito maior que a do manto, em razão das temperaturas que se aproximam dos 3000ºC. Sua extensão vai de 2900 km até os 5150 km.

O núcleo interno, por outro lado, é sólido, com temperaturas iguais ou semelhantes às encontradas na superfície do Sol, na ordem dos 5000ºC. O fato de o núcleo ser sólido deve-se ao fato de a pressão ser extremamente elevada, algo em torno de três milhões de vezes maior do que a pressão atmosférica no nível do mar. Forma-se, então, uma liga metálica maciça de níquel e ferro, o que faz com que essa camada seja também chamada de NIFE.

Estudos a partir de ondas sísmicas sugerem que o núcleo interno gire a uma velocidade superior à rotação terrestre, o que indica que, no passado, o nosso planeta girava mais rápido. Afinal, como o núcleo interno está isolado mecanicamente do restante do planeta pelo núcleo externo líquido, ele conserva sua velocidade anterior pelo princípio da inércia.

As pesquisas sobre o interior da Terra baseiam-se em dois métodos principais: o estudo das ondas sísmicas internas a partir de sismógrafos especificamente produzidos para captá-las e também o uso da planetologia comparada, analisando a estrutura de outros planetas, principalmente com o estudo de restos de meteoritos.

A compreensão do núcleo terrestre é importante porque ele apresenta, por exemplo, influências diretas no magnetismo terrestre, em razão de suas temperaturas interferirem na composição estrutural do planeta e pela forma com que essa estrutura, direta ou indiretamente, intervém na dinâmica do relevo.

Assuntos Relacionados