Países emergentes

Os países emergentes compreendem as economias periféricas que apresentam medianos níveis de desenvolvimento social e grandes potenciais econômicos.

Países emergentes
Países emergentes possuem ampla mão de obra e mercado consumidor, a exemplo da China

Não há, no âmbito da economia mundial, uma definição totalmente aceita sobre o que seriam as economias emergentes. De modo geral, são considerados emergentes aqueles países subdesenvolvidos que apresentam quadros de crescimento econômico prósperos e características socioeconômicas que diferenciam esses países das demais economias periféricas. O termo foi primeiramente utilizado pelo Banco Mundial na década de 1980 e, desde então, passou a incorporar os jargões econômicos e os noticiários de todo o mundo.

Em geral, os países emergentes apresentam níveis medianos de desenvolvimento, um relativamente dinâmico parque industrial, uma boa capacidade de exportações e certo dinamismo econômico. São, por isso, também chamados de países em desenvolvimento, cujos exemplos englobam, entre outros, Brasil, China, México, Índia, Cingapura, Coreia do Sul, Argentina, Turquia, Indonésia e Taiwan.

Contudo, em torno das análises e das más interpretações sobre esse tema, ergueu-se o mito de que esses países seriam como que uma categoria à parte, não se caracterizando nem como países desenvolvidos nem como países subdesenvolvidos. Porém, é um erro pensar isso, pois o mais correto seria considerar os emergentes como uma subcategoria que faz parte do mundo subdesenvolvido, tendo em vista que esses países ainda apresentam níveis sociais e de distribuição de renda limitados, com elevada pobreza e falta de recursos em muitas áreas da sociedade, como educação e saúde.

Em 2001, o economista inglês Jim O'Neil criou o termo “BRIC” para referir-se aos quatro principais países emergentes que apresentavam elevadas potencialidades econômicas, com acentuados crescimentos vindouros e melhorias em seus índices financeiros, previsões que se concretizaram pelo menos nos dez anos seguintes. Assim, esses países resolveram adotar o termo como uma forma de relação diplomática informal, alterando, inclusive, a sigla para BRICS, com a inclusão da África do Sul, que também pode ser considerada uma economia emergente, porém de menor porte em relação aos demais países desse acrônimo.

Os BRICS são, atualmente, importantes atores nos cenários econômicos e políticos mundiais
Os BRICS são, atualmente, importantes atores nos cenários econômicos e políticos mundiais

Apesar das oscilações econômicas que esses países sofreram, sobretudo durante a crise financeira internacional, pode-se dizer que os BRICS lideram atualmente os países emergentes e, claro, as demais nações subdesenvolvidas. Isso ocorre porque, além da economia dinâmica, esses países possuem uma elevada força política, incluindo a presença de dois deles no Conselho de Segurança da ONU (no caso, China e Rússia). Recentemente, o BRICS deliberou a criação de um banco financeiro voltado para a cooperação a fim de realizar benefícios e empréstimos a juros baixos para países periféricos, o que impõe uma inédita concorrência ao FMI e ao Banco Mundial.

Outra sigla que reúne países com bastante força entre os países emergentes é o MIST (México, Indonésia, Coreia do Sul e Turquia). Em alguns casos, pensou-se que esses países substituiriam os BRICS no âmbito da economia mundial, mas a crise de 2008 – que afetou, em grande medida, o México –, além do menor poder político, colocou esse grupo em um segundo plano no contexto internacional.

Indústria na Coreia do Sul — um país emergente
Indústria na Coreia do Sul — um país emergente

Em resumo, podemos considerar que os países emergentes são grandes exportadores de matérias-primas, grandes receptores de empresas multinacionais (além de também serem medianos fornecedores dessas mesmas empresas) e possuem um amplo e crescente mercado consumidor e uma grande capacidade de crescimento econômico e atuação centrada no setor terciário. Por esse motivo, atraem sempre com muita atenção os principais centros de debate tanto do meio econômico quanto da geopolítica e estratégia internacional.

Assuntos Relacionados