Você está aqui Mundo Educação Geografia Cartografia Paralelos e meridianos

Paralelos e meridianos

Os paralelos e meridianos da Terra são linhas imaginárias em forma de círculos e semicírculos utilizadas para a indicação dos diferentes pontos da Terra, entre outras funções.

Paralelos e meridianos
A junção de paralelos e meridianos forma uma rede de localização: as coordenadas geográficas

Os paralelos e meridianos são as linhas imaginárias traçadas ao longo da Terra, utilizadas em muitas funções cartográficas, principalmente no estabelecimento das coordenadas geográficas. Essas linhas são traçadas sobre o globo terrestre no sentido horizontal e vertical. Os paralelos formam círculos concêntricos, enquanto os meridianos formam semicírculos.

Confira o esquema a seguir:

Os meridianos posicionam-se na vertical, e os paralelos, na horizontal
Os meridianos posicionam-se na vertical, e os paralelos, na horizontal

Os paralelos são, pois, linhas imaginárias dispostas sobre o eixo do globo terrestre no sentido horizontal, formando círculos que são maiores na parte central, entre o norte e o sul, e menores nas proximidades dos polos. O maior e mais importante desses paralelos é a Linha do Equador por dividir o planeta em hemisfério norte (também chamado de Boreal e Setentrional) e hemisfério sul (chamado também de Austral e Meridional).

Alguns outros paralelos importantes por serem demarcações das diferentes posições da Terra em relação aos raios solares ao longo do ano são os trópicos de Capricórnio e de Câncer, além dos círculos polares Ártico e Antártico.

Alguns paralelos são importantes meios de demarcação das variações solares
Alguns paralelos são importantes meios de demarcação das variações solares

Os paralelos possuem medidas específicas, chamadas de latitudes, que constituem a distância, em graus, de um dado paralelo em relação à Linha do Equador. Essa, por sua vez, possui latitude 0º.

Os meridianos são as linhas imaginárias dispostas verticalmente sobre o globo terrestre, formando semicírculos, ou seja, curvas que representam a metade de um círculo. Como todos os meridianos possuem o mesmo tamanho, não há diferenças técnicas entre um e outro, o que fez com que o meridiano principal fosse escolhido por meio de uma convenção realizada em Washington D.C. no final do século XIX. Nessa convenção, escolheu-se que a linha imaginária que atravessa a cidade de Londres, capital da Inglaterra e centro econômico da época, seria o meridiano principal, chamado de Meridiano de Greenwich, que é também o marco zero na medição dos fusos horários.

Linha traçada no Meridiano de Greenwich
Linha traçada no Meridiano de Greenwich

Todo meridiano possui uma unidade de medida, chamada de longitude, que é a distância, em graus, entre qualquer meridiano e Greenwich, que possui longitude 0º. Tudo o que estiver a oeste dessa linha faz parte do hemisfério ocidental, e o que estiver a leste faz parte do hemisfério oriental.

O meridiano oposto a Greenwich, posicionado a 180º de longitude, dá origem à Linha Internacional de Mudança de Data, que delimita o fim de um dia e o início do outro. No entanto, essa linha traçada não obedece inteiramente às direções cartográficas, pois apresenta “curvas” para adaptar-se a alguns territórios e ilhas do Pacífico.

Os paralelos e meridianos, combinados entre si e com as latitudes e longitudes, dão origem ao sistema de coordenadas geográficas, que é utilizado para definir qualquer ponto da superfície terrestre. Trata-se, portanto, de um preciso e importante método de localização geográfica.

Assuntos Relacionados