Você está aqui Mundo Educação Gramática Dúvidas de vocabulário As expressões voltar atrás e voltar para trás – Uma análise linguística

As expressões voltar atrás e voltar para trás – Uma análise linguística

Atendo-nos, primeiramente, ao sentido expresso pelo verbo voltar, temos que este denota a ação de irmos ou virmos de um determinado ponto para outro local onde antes estivemos. Assim, ao dizermos:

Mais tarde, voltamos à escola para realizarmos algumas pesquisas.

Voltou à cidade onde viveu boa parte de sua infância.


Tão logo atribuímos à afirmativa uma total credibilidade.


Contudo, convém-nos admitir que uma das características inerentes aos fatos linguísticos é exatamente o dinamismo, ou seja, à medida que evoluem as relações sociais, de forma paralela evolui também o nosso léxico. Como exemplo vivo de tal transformação podemos citar o caso da palavra “você” – amplamente reelaborada ao longo do tempo.

Desta forma, convém mencionar que este dinamismo reflete de forma direta em alguns aspectos relacionados ao sentido das palavras. Não raro ocorreu com a expressão “voltar atrás”, cujo significado não implica necessariamente considerar um ponto físico posto atrás de uma dada pessoa, mas também relacioná-la à atitude de arrepender-se, desistir-se de algo realizado anteriormente. Como bem podemos constatar em:

O diretor voltou atrás na sua decisão.
Tão logo pretendemos voltar atrás nos procedimentos já planejados.


Em ambos os casos, infere-se que há a intenção de retomar, rever algo antes determinado.

Elencadas todas estas considerações é momento de prosseguirmos rumo à concretização de nosso intento – demarcar os traços peculiares inerentes às expressões em estudo. Desta feita, resta-nos enfatizarmos acerca daqueles manifestados em “voltar para trás”. Algo nos diz que se trata de um caso redundante? Será mesmo?

Pois bem, tendo em vista o sentido convencional do verbo – (re) visitar o local antes presenciado-, há que se considerar que o advérbio de lugar “atrás” sem dúvida transmite igual ideia. Logo, considera-se tratar de um vício de linguagem, ora constituídos de algumas denominações semelhantes, tais como redundância, pleonasmo ou tautologia. Todos estes constituídos pelo excesso de informações, sendo estas consideradas desnecessárias ao discurso.

Portanto, com base neste pressuposto, a expressão em evidência (voltar para trás) deve ser evitada, uma vez que esta representa um desacordo em se tratando do padrão formal da linguagem.

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Assuntos Relacionados