Você está aqui Mundo Educação História Geral Idade Contemporânea A Revolução de 1848

A Revolução de 1848

A Revolução de 1848
Revolução de 1848: o estabelecimento de uma nova oposição política na Europa.

No ano de 1830, os franceses extinguiram os anseios da restauração monárquica ao expulsarem a dinastia Bourbon do poder. Em seu lugar, com o expresso apoio da burguesia nacional, Luís Filipe de Orleans assumiu o governo com o claro intuito de firmar os avanços liberais na Constituição Francesa. Nesse sentido, buscou a ampliação do Poder Legislativo, anulou qualquer ato de censura aos meios de comunicação e realizou a separação entre Igreja e Estado.

Contudo, mesmo com tais avanços, vários grupos políticos se voltaram com seu governo assim que o voto censitário fora preservado. Republicanos, socialistas e bonapartistas se aproveitavam do fim da censura para realizarem grandes banquetes públicos durante os quais discutiam as reformas a serem empreendidas no país. Conhecida como a “política dos banquetes”, essa manifestação acabou ganhando força entre amplos setores da população francesa.

Visando desintegrar o movimento, o rei Luís Filipe e o ministro Guizot resolveram lançar essas reuniões à ilegalidade e não ceder a qualquer reivindicação política. Contudo, a insensibilidade do governo acabou sendo estopim para que um grande movimento popular se formasse em fevereiro de 1848. Naquele mesmo momento, a obra “Manifesto Comunista”, de Marx e Engels, ofereciam um grande aporte ideológico para aquela luta contra a hegemonia burguesa.

Com o apoio de membros da própria Guarda Nacional, os revolucionários forçaram a demissão do ministro Guizot e a fuga do rei para a Inglaterra. A partir desse momento, a França se transformara em uma República. Imediatamente, a pena de morte e o sufrágio universal foram instalados no país. Contudo, logo em seguida, a reação dos conservadores resultou na formação de uma Assembleia Constituinte de natureza predominantemente moderada.

Mesmo não instalando um regime socialista, a Revolução de 1848 teve grande importância para que uma nova polarização política ganhasse vida. A partir daquele momento, as lutas entre burguesia e proletariado seriam vigentes em diversas nações da Europa. Não por acaso, naquele mesmo ano de 1848, outras rebeliões de traço liberal e socialista abalaram as arcaicas estruturas de Velho Mundo. Costumeiramente, esse conjunto de revoluções ficou conhecido como a “Primavera dos Povos”.

Assuntos Relacionados