Invasão alemã na Noruega em 1940

A invasão alemã na Noruega ocorreu em abril de 1940, após Hitler adiar por duas vezes seus planos de domínio dos Países Baixos e da França.

Invasão alemã na Noruega em 1940
Canhão alemão utilizado durante a campanha de invasão da Noruega em 1940

A invasão da Noruega ocorreu entre os meses de abril e junho de 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, e garantiu aos alemães o controle do país. Após o desembarque de cerca de 100 mil soldados em solo norueguês, a Alemanha venceu a pequena resistência formada pelas tropas norueguesas e pela coalização enviada por Reino Unido e França.

Preparativos da invasão à Noruega

Logo após garantir o domínio sobre a Polônia, os planos alemães voltaram-se para os Países Baixos e França. A ideia de Hitler era que a invasão desses países acontecesse em novembro de 1939. Isso não ocorreu, pois o líder nazista constatou que os estoques de combustível e minérios da Alemanha eram insuficientes para garantir uma campanha longa, como também as reservas de munições do exército alemão estavam no limite. Além disso, questões climáticas impediram o uso da aviação de guerra e, consequentemente, adiaram a realização dos planos iniciais.

Após esse adiamento do projeto nazista para janeiro de 1940, novos contratempos forçaram outra mudança de planos em relação à França e aos Países Baixos. Holandeses e franceses souberam do objetivo alemão e posicionaram as tropas na fronteira, reforçando a sua defesa. Assim, o plano invasor precisou ser refeito.

Adiada a invasão desses países, o almirante Erich Raeder convenceu Hitler a considerar a invasão da Noruega como uma alternativa. Para isso, Raeder convidou o norueguês pró-nazista Vidkun Quisling para ajudá-lo a persuadir o líder da Alemanha. Eles argumentaram, então, que a campanha norueguesa seria importante, pois:

  1. Garantiria um flanco estratégico a partir de bases aéreas instaladas na Noruega, o que permitiria atacar embarcações britânicas no Mar do Norte;

  2. Garantiria o controle sobre o escoamento da produção sueca de ferro no porto norueguês de Narvik.

Baseando-se nessa argumentação, Hitler ordenou a preparação das tropas alemãs em 1º de março de 1940. A invasão à Noruega, porém, só aconteceu, de fato, em 9 de abril de 1940.

Batalha pela Noruega

Estátua em Narvik homenageia os soldados poloneses que lutaram contra os nazistas pelo controle da cidade
Estátua em Narvik homenageia os soldados poloneses que lutaram contra os nazistas pelo controle da cidade

A invasão da Noruega foi iniciada somente no dia 9 de abril de 1940, quando as tropas alemãs desembarcaram em solo norueguês. Antes disso, aconteceram conflitos no mar entre a Kriegsmarine (marinha de guerra alemã) e a Marinha Real britânica. Isso fez com que a Noruega se posicionasse ao lado dos Aliados – até então, formados por Reino Unido e França, mas que, em 1941, contaram também com a adesão de EUA e URSS. A Alemanha representava o Eixo, composto também por Itália e, a partir de 1941, por Japão.

Quando os planos alemães de invasão da Noruega estavam prestes a se concretizar, Reino Unido e França mobilizaram-se, ainda que desorganizadamente, para impedir essa intenção da Alemanha. Assim, a Marinha britânica minou o mar norueguês nas proximidades de Narvik e enviou embarcações para Scapa Flow (Escócia) e para as proximidades da costa norueguesa. O objetivo era proteger o litoral norueguês e impedir qualquer tentativa de invasão.

Apesar de ter afundado metade das embarcações da Kriegsmarine enviadas para a Noruega, a Marinha britânica não conseguiu impedir a invasão. A Alemanha desembarcou cerca de 100 mil soldados em várias partes da Noruega e rapidamente garantiu o controle de importantes cidades, como Trondheim, Bergen e Stavanger. Oslo foi dominada por meio de paraquedistas alemães que pousaram na cidade.

A resistência norueguesa foi desorganizada, pois os exércitos não estavam mobilizados quando a invasão se iniciou. A Noruega só conseguiu mobilizar suas forças dois dias depois, com o alistamento de cerca de 40 mil noruegueses para a guerra. Tropas britânicas, francesas e polonesas foram enviadas para ajudar na resistência, mas fizeram pouco. A ajuda aliada também foi muito desorganizada e dias depois foi evacuada sob ordem da cúpula britânica.

Após a invasão alemã, o rei Haakon fugiu para o interior da Noruega e, no dia 7 de junho, embarcou rumo ao exílio no Reino Unido. Vidkun Quisling foi nomeado chefe de Estado norueguês pelos nazistas. Seu nome tornou-se sinônimo de traição no país e, tanto no inglês quanto no norueguês, a palavra “quisling” entrou para o dicionário com o significado de “traidor à pátria”.

Rendição norueguesa

A rendição norueguesa aconteceu em 10 de junho de 1940. Isso fez da Noruega o segundo país que mais tempo resistiu a uma invasão alemã na guerra, atrás apenas da União Soviética. O controle da Noruega possibilitou à Alemanha posição estratégica para realizar o apoio aéreo durante a invasão da União Soviética. Além disso, essa tática alemã conseguiu coagir a Suécia a manter o abastecimento de ferro no porto de Narvik.

Para os britânicos, a retirada da Noruega gerou embaraço. A posição do primeiro-ministro Neville Chamberlain foi abalada a ponto de a população do Reino Unido demandar uma nova pessoa para a função. A pressão levou-o a renunciar ao cargo no dia 10 de maio de 1940. Chamberlain foi sucedido por Winston Churchill.

As perdas alemãs na guerra foram sensivelmente baixas: 5.296 soldados morreram. Além disso, a marinha alemã perdeu cerca de vinte embarcações e outras dez ficaram gravemente danificadas. Entretanto, a invasão da Noruega custou caro à Alemanha, pois cerca de 350 mil soldados foram direcionados para manter o controle do país. Esse número elevado é considerado uma perda de força militar importante, que poderia ter sido utilizada em outros frontes da guerra.

Tags Relacionadas

Assuntos Relacionados