Você está aqui Mundo Educação Química Química Ambiental Consumo de Carne e Aquecimento Global

Consumo de Carne e Aquecimento Global

Consumo de Carne e Aquecimento Global
A criação de bovinos leva ao aumento dos gases-estufa na atmosfera, agravando o problema do aquecimento global

O Brasil é o maior exportador de carnes do mundo, o que corresponde a 24% da sua produção. Nosso país possuía, em 2006, cerca de 190 milhões de cabeças de gado e a demanda por carne bovina não é só externa, mas interna também. Com certeza, isso gera muitos lucros para o nosso país.

Mas, o que dizer dos impactos sobre o meio ambiente? Será que o consumo de carne agrava problemas ambientais, tais como o efeito estufa e o aquecimento global?

Estudos mostram que a pecuária bovina é responsável pela emissão de pelo menos 50% dos gases-estufa, principalmente do gás carbônico (CO2) e do metano (CH4). O aumento da concentração desses e de outros gases na atmosfera é o que intensifica o efeito estufa, pois eles absorvem uma parcela da radiação infravermelha, aumentando a temperatura do planeta e causando o chamado aquecimento global.

Mas, como é possível que o gado contribua mais do que as indústrias e os veículos automotivos para agravar o aquecimento global?

A seguir, estão as principais formas em que isso ocorre:

1. Desmatamento: As florestas são derrubadas a fim de abrir pastagens para os rebanhos. Para limpar os terrenos, são realizadas queimadas, o que emite os gases-estufa e representa o maior fator de emissão desses gases no Brasil. Em terras brasileiras, isso ocorre na Amazônia e no Cerrado, sendo que 75% do desmate na Amazônia e 56% do desmate no Cerrado estão associados à pecuária.

Além de gerar esses gases, o desmatamento destrói habitats naturais, provoca a extinção de espécies, causa a degradação ou erosão dos solos, desencadeia inundações, diminui os recursos hídricos (porque possuirá menos tamponamento florestal), diminui a ocorrência de chuvas, entre outros problemas.

O desmatamento é o maior fator de emissão de gases-estufa no Brasil

2. Queimadas: As queimadas também são realizadas periodicamente para renovar a vegetação das pastagens, emitindo mais gases-estufa.

As queimadas lançam gases-estufa na atmosfera

3. Digestão dos animais: A fermentação entérica, isto é, a formação de gases no sistema digestivo do boi, emite metano para a atmosfera, por via oral e fecal.

A digestão do gado emite metano na atmosfera

4. Outros: Existem outros fatores que são mais difíceis de serem mensurados, mas que também contribuem em muito para o aquecimento global, tais como o transporte da carne, do gado, de rações para os rebanhos, emissões dos solos de pastagens degradadas ou mal manejadas, emissões vindas da produção da ração, emissões do processamento industrial primário da carne que será consumida e assim por diante.

O transporte de gado queima combustível fóssil

Tudo isso representou um total de 812,9 toneladas de CO2 emitidos pela pecuária brasileira no ano de 2008.

Assim, quanto maior for o consumo de carne, maior será o rebanho criado e, consequentemente, maior o prejuízo para o meio ambiente.

Então, faça uma autoanálise sobre os seus hábitos alimentares e se pergunte:

“Será que eu poderia diminuir o meu consumo de carne?”

Uma ação positiva sobre essa questão não só ajudará o meio ambiente, mas também fará bem à sua saúde, porque o consumo excessivo de carne pode levar ao desenvolvimento de algumas doenças, como doenças cardiovasculares e obesidade.

Comer muita carne não faz bem à saúde e ainda prejudica o meio ambiente

Assuntos Relacionados