Você está aqui Mundo Educação Química Curiosidades Químicas Lavando a dengue
Lavando a dengue
A solução pode estar no sabonete

A Dengue é uma doença infecciosa, a transmissão se dá pela picada do mosquito Aedes aegypti. Ela se tornou um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países.

A dengue está se expandindo rapidamente, as epidemias geralmente ocorrem no verão e a grande preocupação é que nos próximos anos a transmissão aumente por todas as áreas tropicais do mundo.

Contudo, a dengue pode estar com seus dias contados, quem diria... Um simples sabonete evitar esta doença tão contagiosa! É isso mesmo, um sabonete que espanta o mosquito propagador.

Pesquisadores do Laboratório de Química de uma Universidade do Rio de Janeiro desenvolveram uma fórmula para driblar o Aedes, e o melhor: é uma maneira perfumada e barata de escapar da picada desse traiçoeiro mosquito. A descoberta surgiu da idéia de disponibilizar um produto economicamente acessível à população carente que não têm acesso a ferramentas mais sofisticadas de combate à dengue.

O sabonete já passou por testes rigorosos como esse: o produto foi aplicado no braço de um voluntário e este o introduziu em um recipiente lotado de insetos da espécie Aedes aegypti, o que aconteceu? Os mosquitos não picaram o braço do voluntário.

Mas qual é o princípio ativo desse milagroso sabonete? A fórmula contém substâncias repelentes: uma mistura de glicerina com essências naturais de plantas, como o cravo-da-índia, óleo de citronela e capim-limão. Conta ainda com outras substâncias químicas, que ajudam a aumentar o tempo de ação do produto. Seu efeito dura de 5 a 6 horas, e a expectativa é que esteja disponível no mercado para o próximo verão.

Assuntos Relacionados