Você está aqui Mundo Educação Química Curiosidades Químicas Reações químicas presentes no airbag de automóveis

Reações químicas presentes no airbag de automóveis

Reações químicas presentes no airbag de automóveis
Airbags à base de reações químicas.
Airbag é um dispositivo indispensável nos veículos para a proteção do motorista e passageiros, e que tem como princípio fundamental reações químicas. A principal reação envolvida é a decomposição térmica da azida de sódio que gera o gás azoto, que é responsável pela expansão do airbag.

A azida de sódio possui fórmula NaN3, essa substância é acoplada à bolsa plástica (airbag) que fica embutida nos painéis do automóvel. Antes que ocorra a colisão, no ato do freamento brusco, os sensores localizados no pára-choque do automóvel transmitem um impulso elétrico (faísca) que causa a detonação da reação. Bastam apenas alguns centésimos de segundo para o airbag estar completamente inflado, a capacidade destes dispositivos variam, alguns comportam até 70 litros de gás.

Mas vale lembrar que airbags não são suficientes para salvar vidas, eles são complementares, sendo que o uso dos cintos de segurança é obrigatório por lei. Esses dois aparelhos agem em conjunto e de forma simultânea com o objetivo de reter o movimento dos ocupantes do veículo para frente em caso de fortes colisões, eles reduzem os riscos de ferimentos na cabeça e no tórax.

Agora você já sabe! A reação química que faz a bolsa plástica se encher subitamente no caso de uma colisão, é a reação de decomposição.

Assuntos Relacionados