Você está aqui Mundo Educação Redação Tipos textuais Textos dissertativos Cinco passos para escrever um bom texto dissertativo

Cinco passos para escrever um bom texto dissertativo

Compreender as condições de produção, fazer um bom planejamento e a revisão final são alguns dos cinco passos para escrever um bom texto dissertativo.

Cinco passos para escrever um bom texto dissertativo
Para escrever um bom texto, é preciso compreender as condições de produção, fazer um bom planejamento e a revisão final

A todo momento, estamos em contato com a leitura e a produção de textos, desde um breve comentário em uma rede social até textos jornalísticos, acadêmicos, romances etc. É por isso que, na escola, a disciplina de Redação/Produção de textos deve objetivar, sobretudo, o desenvolvimento das habilidades e competências linguísticas para que os alunos transformem-se em sujeitos capazes de se colocar no mundo na e pela linguagem.

Sabemos que escrever um bom texto pode não ser uma tarefa fácil, já que, além de conhecimentos sobre os mecanismos linguísticos necessários para a construção do texto, é preciso que o autor considere o seu interlocutor e de que maneira deve levar a sua mensagem até ele.

Pensando nisso, selecionamos cinco passos para você escrever um bom texto dissertativo de qualquer gênero discursivo que tenha o objetivo de transmitir uma mensagem/ideia/informação, argumentar e/ou convencer alguém.

1) Ler e compreender a proposta de redação

Geralmente, para que o trabalho dos alunos seja bem orientado, os professores têm o hábito de preparar uma proposta de produção escrita/redação com os critérios que devem ser seguidos. Como as propostas de redação não são iguais, a primeira coisa a se fazer é compreender os comandos da atividade, ou seja, entender o que e como deve ser realizada. Dessa forma, antes mesmo de iniciar o rascunho, reflita:

a) Qual o tipo de texto e/ou gênero discursivo sugerido na proposta de redação?

b) Sobre qual assunto/tema devo escrever?

c) Há textos motivadores sobre o tema para que eu possa ler e inspirar minha escrita?

→ Caso a proposta de redação não apresente uma coletânea com textos motivadores sobre o assunto, busque dois ou três textos que possam esclarecer algumas informações e deixá-lo a par do assunto/tema. Para que possamos escrever sobre qualquer assunto, sobretudo com a difícil missão de deixar os interlocutores/leitores bem informados, é imprescindível que conheçamos os principais fatos e opiniões a respeito do assunto/tema.

d) Durante a leitura dos textos motivadores, sublinhe as ideias centrais de cada parágrafo e as informações mais relevantes para que possa inseri-las em seu próprio texto. Após a seleção de informações, vamos para o segundo passo:

2) Para escrever qualquer tipo de texto, o autor deve considerar as suas condições de produção. Para isso, o autor do texto deve responder às seguintes perguntas:

a) O que dizer?

→ Trata-se do assunto/tema sugerido na proposta de redação. Lembre-se de que, como o espaço de linhas, geralmente, é pequeno (em média, 20 a 30 linhas), você deve fazer um “recorte” no tema, isto é, como não é possível falar sobre tudo que o cerceia, enfatize apenas as principais informações/fatos. Caso a proposta de redação sugira o tema “A política no Brasil”, por exemplo, opte por atribuir maior ênfase a um período histórico, ou a uma região do Brasil, ou à corrupção, ou ao sistema eleitoral, ou à democracia, e assim por diante.

b) Por que dizer?

→ É sempre bom que o autor justifique a escolha do tema e informe ao leitor quais foram os motivos que o levaram a escrever sobre o assunto/tema e levá-lo à reflexão por parte dos leitores.

c) A quem dizer?

→ É essencial que o locutor (autor do texto) considere quem é o seu interlocutor. Isso porque as relações que estabelecemos com as pessoas, bem como o local (instituição) onde a interação verbal ocorre, determinam o que eu posso ou não dizer e como isso deve ser feito. Por exemplo, dar uma notícia ruim a um familiar/amigo é bastante diferente de darmos a mesma notícia a quem não conhecemos e não mantemos vínculos de afetividade. É preciso que o autor observe o nível de formalidade, a faixa etária, a posição social, o cargo ocupado e a profissão do interlocutor. Dependendo do nível de formalidade, é necessário observar também os pronomes de tratamento adequados para designar cada um dos interlocutores.

d) Como dizer

Sabemos que não podemos dizer tudo a qualquer pessoa e em qualquer lugar. Por isso, é preciso que o locutor reconheça o nível de intimidade/formalidade que deve estabelecer com seu interlocutor e também qual é o suporte de circulação do texto, ou seja, onde será veiculado/publicado o texto. A partir disso, o autor deve selecionar o nível de linguagem adequado ao suporte e também à pessoa do locutor (coloquial, culta etc).

3) Fazer um planejamento textual/projeto de texto

→ Todos os parágrafos do texto devem ser planejados antes mesmo de o autor iniciar o rascunho do texto. Podemos dividir os textos em três grandes partes: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Vejamos cada uma das partes a seguir:

a) Introdução (O que dizer/Por que dizer?)

1ª Parágrafo: Suponhamos que o tipo de texto sugerido na proposta seja o dissertativo e que o tema seja “A política no Brasil”. Logo nas primeiras linhas, o autor deve deixar bem claro qual é o assunto a ser debatido. Para isso, o autor pode optar por traçar um panorama histórico sobre o tema (como era no passado e como está no presente) e concluir a introdução fazendo projeções sobre o tema para o futuro (“o que poderá acontecer se a situação/problema apresentado permanecer o mesmo”). Ou, se preferir, o autor pode iniciar o texto fazendo uma análise crítica sobre o tema na atualidade e seus efeitos na sociedade. Outra forma de concluir o parágrafo de introdução é chamando a atenção do leitor para a relevância do tema na contemporaneidade, convocando os leitores à reflexão e ao debate.

b) Desenvolvimento

2ª Parágrafo: O desenvolvimento do texto é muito importante. Nele, o autor insere as informações mais revelantes que selecionou sobre o tema, seja a partir da leitura de textos motivadores, seja a partir dos conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação escolar e de sua vida. No primeiro parágrafo do desenvolvimento, o autor pode expor os pontos negativos sobre o tema (se houver) e, no parágrafo seguinte, os pontos positivos (se houver) e vice-versa. Caso o texto seja de caráter argumentativo, o autor deve apresentar seu posicionamento e citar exemplos verídicos que possam comprovar as afirmações e informações sobre o tema e, dessa forma, convencer/persuadir o interlocutor/leitor.

3ª Parágrafo: Dependendo da quantidade de informações e argumentos sobre determinado tema, o autor pode abrir um segundo parágrafo de desenvolvimento para ampliar a reflexão. Nesse caso, é interessante que o autor mobilize outras vozes no texto, ou seja, fazer citações (diretas ou indiretas) de outros autores para que possa concordar com suas ideias/opiniões ou refutá-las.

c) Conclusão

A conclusão deve ser bastante elaborada, já que é o desfecho das ideias. Muitos alunos tratam a conclusão como sendo uma síntese do texto, o que não é verdade. Não há a necessidade de repetir/resumir tudo aquilo que já foi dito anteriormente nos outros parágrafos. A conclusão é o espaço para que o autor conclua suas reflexões e faça projeções para o futuro sobre o que pode e deve ser feito a respeito da problemática discutida ao longo do texto. O autor pode dar sugestões de como solucionar ou amenizar os problemas apresentados, expondo de que maneira é possível intervir e melhorar nossas práticas sociais.

4) Atribuir um título ao texto

Se não é a conclusão o espaço para sintetizar as ideias centrais do texto, podemos dizer que o título representa esse lugar. O título deve sintetizar as reflexões do autor ao mesmo tempo que deve ser convidativo para que os leitores sintam-se motivados à leitura do texto integralmente, como acontece com as manchetes de jornal.

5) Fazer a revisão do rascunho e passar o texto a limpo

Após a escrita do parágrafo de conclusão, o autor deve reler o seu rascunho de texto e revisá-lo. Essa é uma etapa muito importante da produção escrita, já que nela o autor tem condições de ler, analisar o resultado final e revisar a sua obra. Podemos dizer que essa etapa é importante também porque nela o autor deve fazer uma autocrítica sobre o seu trabalho e compreender que ainda há tempo de fazer as modificações necessárias.

Tags Relacionadas

Assuntos Relacionados