Editorial

O editorial, gênero textual jornalístico, apresenta e defende a opinião de um jornal ou revista em relação aos variados assuntos do cotidiano.

Editorial
O editorial é o gênero textual responsável por apresentar a opinião de periódicos

Jornais e revistas costumam posicionar-se em relação aos acontecimentos sociais. Esse feito contribui para a publicidade desses meios de comunicação, uma vez que os leitores procurarão e serão fiéis às mídias que compartilham de seus ideais e pontos de vista. Mais comumente encontrado em jornais, o Editorial é um texto que expressa a opinião coletiva dos responsáveis pela redação do periódico.

Os editoriais não são notícias, mas, frequentemente, são produzidos a partir de algum fato, recente ou histórico. Isso significa que, para iniciarmos um editorial, sempre precisaremos de um fator gerador. Observamos isso ao analisarmos alguns exemplos de introdução desse gênero:

  • Introdução por dados estatísticos ou notícias

1) Introdução do Editorial “Inflação não cai no ritmo esperado pelo BC”, publicado pelo jornal Estadão.

O primeiro sinal captado pelo IBGE para inflação de 2016 é o de que a desaceleração dos preços não será tão acentuada como vem projetando o Banco Central (BC). A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) – cujo período de coleta vai do dia 15 do mês anterior aos dia 15 do mês de referência – foi de 0,92%. É um índice menor do que o de dezembro, de 1,18%, mas ainda alto o bastante para sugerir que será difícil que o acumulado do ano fique em 6,2%, como foi projetado pelo BC no Relatório Trimestral de Inflação divulgado na segunda quinzena de dezembro. “ (Estadão / Acesso em: 25/01/2016)

2) Introdução do Editorial “53 mil zeros”, publicado pelo jornal digital O presente.

As notícias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) divulgadas ontem (11) pelo Ministério da Educação mostram, mais uma vez, que o país é recheado de pessoas despreparadas para ocupar um banco na faculdade. Ao todos, 104 candidatos tiraram nota máxima na prova de redação, a mais temida de todas as fases para a ampla maioria dos postulantes a uma vaga no Ensino Superior. Por outro lado, mais de 53 mil tiraram nota zero. É o retrato de um país que ainda não sabe educar a maioria de suas crianças e adolescentes. O resultado é estarrecedor, desespera e aponta para um norte que o país precisa caminhar: melhorar a educação pública.” (O Presente / Acesso em: 25/01/2016)

Todo e qualquer ambiente social é dinâmico, logo, os dados estatísticos estão em constante mudança e situações não param de surgir. E é essa oscilação que é interessante para que os representantes dos periódicos avaliem, reflitam, critiquem determinado setor ou acontecimento social.

Dados e notícias são os fatores geradores mais utilizados para construção de uma introdução do gênero editorial, pois esses aspectos fazem surgir possíveis problematizações em relação a algum recorte temático. Isso é o que vemos no exemplo 1, que, pela comparação entre dados estatísticos, apresenta um problema quanto à inflação do país. No exemplo 2, temos situações relacionadas com o Exame Nacional do Ensino Médio que nos permitem analisar a qualidade da educação no Brasil.
A introdução por dados estatísticos ou notícias é, portanto, bastante comum em editoriais, visto que esses aspectos são medidores de desenvolvimento de uma sociedade.

  • Introdução por alusão histórica

- Introdução do Editorial “O petróleo é nosso. E daí?”, publicado pelo jornal digital O presente.

Getúlio Vargas está se revirando no caixão. Ao pronunciar a famosa frase “O petróleo é nosso”, em meados dos anos de 1940, na ocasião em que o governo descobriu reservas consideráveis em solo nacional e que culminaria na criação da Petrobras, talvez não imaginasse a algazarra que se tornaria a estatal 60 anos mais tarde. A petrolífera é hoje um vexame nacional, fadada a um fracasso iminente por conta de corrupção escancarada, políticas burras e ações incompetentes na condução dos negócios. “ (O Presente / Acesso em 25/01/2016)

A história de um povo é a melhor fonte para que possamos definir e, consequentemente, analisar uma sociedade. Tendo isso em vista, o recurso de alusão histórica em editoriais é valioso, uma vez que acontecimentos e características comportamentais podem ser relacionados e, a partir dessa comparação, reflexões críticas e avaliações sobre o recorte feito serão possíveis.

Apesar de não serem tão comuns quanto os dados estatísticos e as notícias, acontecimentos históricos são significativos fatores geradores de um Editorial, visto que, para entender o presente, não há nada melhor do que analisar o passado.

  • A metalinguagem no Editorial

Além desses traços que caracterizam o editorial, temos a metalinguagem como um recurso presente nesse gênero, ou seja, há marcas no texto que fazem referência ao próprio meio de comunicação que é suporte para o editorial.

Exemplo:

“A região de Araçatuba sai na frente e abre caminho para um debate de interesse nacional ao discutir e aprovar mecanismos que ampliam a exigência de "ficha limpa" para a ocupação de cargos públicos e acomodação de apadrinhados. Reportagem publicada hoje pela Folha da Região revela que a Câmara de Lins acaba de aprovar lei estendendo a abrangência para o preenchimento de cargos de confiança na administração municipal.” (Folha da região / Acesso em 25/01/2016)

  • Aspectos gerais do Editorial

Devemos destacar que o gênero editorial, comumente, é curto e conciso. Então, tome nota das funções que você deve desempenhar em cada parte do texto a fim de que o seu editorial cumpra, de forma objetiva, o seu papel:

introdução: parte em que o assunto é identificado, ou seja, apresenta a ideia central;

o desenvolvimento: parte em que o tema é problematizado e fundamenta-se o ponto de vista do periódico por meio de dados estatísticos, citações, exemplos, comparações, depoimentos etc.;

a conclusão: parte em que o autor pode apresentar soluções para o problema ou fazer uma síntese do que foi discutido, instigando a reflexão crítica em seus leitores.

Notamos, dessa forma, que o editorial é produzido porque o periódico tem uma motivação para a escrita do texto: algum fato, atual ou não, que desencadeará reflexões e posicionamentos a serem fundamentados. Esse posicionamento, é válido ressaltar, não é a opinião do Editor-chefe, pois ele não escreve e defende pontos de vista pela perspectiva dele, mas, sim, representa toda a equipe de redação que compõe o periódico em questão.

Esse gênero, por estar inserido no meio jornalístico, não se restringe a alguns assuntos. Todo e qualquer tema é conteúdo para produção de um editorial: política, cultura, economia, meio ambiente, religião etc. Os editoriais, portanto, são textos que apresentarão discussões, sob o ponto de vista do meio de comunicação, em relação a fatos, principalmente atuais, relevantes, nacionais e internacionais.

Assuntos Relacionados