Você está aqui Mundo Educação Redação Redação em concursos e vestibulares Proposta de intervenção da redação do Enem

Proposta de intervenção da redação do Enem

A quinta competência de avaliação da prova de Redação do Enem é a proposta de intervenção que respeite os direitos humanos.

Proposta de intervenção da redação do Enem
Na proposta de intervenção, o participante deve respeitar os direitos humanos

A proposta de intervenção que respeite os direitos humanos tem o valor de 200 pontos. Ela é um dos cinco critérios dispostos na matriz de referência para avaliação e a 5ª competência a ser avaliada na prova de Redação do Enem.

Além de refletir e argumentar criticamente a respeito de um tema social, os participantes devem sugerir ações que possam contribuir positivamente para a sociedade e com o objetivo de amenizar ou solucionar os problemas que envolvem as discussões levantadas pelo autor ao longo do texto.

Intervir significa atuar diretamente em alguma situação, agindo ou tomando decisões. Pensando nisso, os participantes devem escolher com bastante cuidado as ações que podem ou devem ser feitas para solucionar os problemas e melhorar a qualidade de vida na sociedade. Além de propor ações relevantes, os participantes devem detalhar a forma como devem ser executadas as ações, quais são os agentes ou instituições sociais responsáveis por executá-las e quais são os objetivos que pretende alcançar a partir das ações sugeridas.

Selecionamos 10 excelentes dicas para que você possa alcançar a nota máxima, 200 pontos, nessa competência:

A Proposta de Intervenção tem o valor de 200 pontos e é o quinto critério de avaliação
A Proposta de Intervenção tem o valor de 200 pontos e é o quinto critério de avaliação

10 dicas para obter nota 5 na competência 5:

1- Selecione conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação das mais diversas áreas do saber para deixar claro aos avaliadores que você é um cidadão crítico, reflexivo e engajado socialmente;

2- Mostre que, mais do que saber apontar problemas, você sabe também apontar os caminhos para solucioná-los;

3- A proposta de intervenção deve considerar a diversidade sociocultural e deve ser coerente com a realidade, ou seja, se ela apresenta condições de ser executada a partir de nossa realidade social;

4- Sugira ações que possam ser realizadas a curto, médio e longo prazos;

5- Como a proposta de intervenção deve respeitar os direitos humanos, sobretudo o direito à vida e à liberdade, lembre-se de que nenhuma forma de violência deve ser proposta;

6- Escolha, pelo menos, três agentes ou instituições sociais para intervir nos problemas apresentados, pois apenas um não garante a solução de todos eles;

7- As ações não devem ficar apenas no campo das ideias, mas, sim, no campo da prática. Isso significa que elas não devem ser utópicas, subjetivas e/ou vagas;

8- Faça um planejamento da proposta respondendo às seguintes perguntas:

  • O que deve ser feito?

  • Quem deve fazer?

  • Como deve ser feito?

  • Quais objetivos pretendo alcançar com essas ações?

9- A proposta de intervenção permite aos avaliadores analisar os conhecimentos de mundo dos participantes. Por isso, sempre busque propostas concretas, exequíveis e, se possível, que já não estejam sendo praticadas atualmente;

10- Além de ser eficiente, a proposta deve estar relacionada com a tese apresentada na introdução e com os argumentos apresentados no desenvolvimento do texto. Não se esqueça de que é preciso haver conexão, coerência entre os problemas discutidos no texto e a suas possíveis soluções.

Siga essas dicas e inicie agora mesmo a escrita de seu texto. Em seguida, peça para alguém ler e informá-lo se considera que as propostas sugeridas no texto são eficientes para a resolução dos problemas apresentados a respeito do tema. Continue seguindo nossas dicas e boa escrita!

Tags Relacionadas

Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados