Você está aqui Mundo Educação Saúde e Bem-estar Importância dos Alimentos na Saúde A deficiência de Vitamina A e a Xeroftalmia

A deficiência de Vitamina A e a Xeroftalmia

A deficiência de Vitamina A pode levar a uma síndrome ocular conhecida como Xeroftalmia.

A deficiência de Vitamina A e a Xeroftalmia
A deficiência em Vitamina A pode causar diversos distúrbios oculares

A Vitamina A é encontrada em alimentos como cenoura, abóbora, batata-doce, milho, pêssego, gema de ovo, entre outros. Quando consumida em baixa quantidade, causa a hipovitaminose A, que pode levar a uma síndrome ocular denominada xeroftalmia. Em casos graves, pode desencadear cegueira.

Essa vitamina é de extrema importância para o desenvolvimento do ser humano, estando relacionada, além da visão, com o funcionamento do sistema imunológico e manutenção das mucosas.

A xeroftalmia foi descrita pela primeira vez em 1864, pelo médico brasileiro Manuel da Gama Lobo, que observou as características clássicas da doença em crianças escravas do Rio de Janeiro. O médico acreditava que ela era causada em virtude da má alimentação, pois não se sabia a respeito da vitamina A, que só foi descoberta em 1913.

A falta de reservas de vitamina A no fígado, baixa ingestão, problemas na absorção ou grande utilização dessa vitamina podem ser fatores que levem ao aparecimento de manifestações oculares (xeroftalmia). As manifestações clínicas da deficiência dessa vitamina ocorrem na retina, conjuntiva e córnea.

A forma clínica mais precoce da xeroftalmia é a cegueira noturna, em que a pessoa não consegue enxergar em ambientes pouco iluminados. Outras manifestações clínicas podem ocorrer, como a xerose da conjuntiva, mancha de Bitot, xerose corneal e a ulceração da córnea.

A xerose da conjuntiva é caracterizada pela perda de brilho e transparência da superfície conjuntival, além de um processo de espessamento e enrijecimento.

As manchas de Bitot são manchas de formato variável, normalmente triangulares e que estão localizadas sobre a conjuntiva bulbar temporal e nasal. Essas manchas são formadas em virtude do acúmulo de células epiteliais descamadas, fosfolipídios e bacilos.

A xerose corneal acontece quando a córnea fica sem brilho, seca e com aspecto granular em razão do rompimento do filme lacrimal. Em situações mais graves, a córnea pode sofrer um processo erosivo, o que configura a erosão corneal, que causa uma fotofobia intensa. Após esse momento, pode ocorrer a formação de uma úlcera corneal única e com bordas definidas. São então lançadas enzimas que podem levar ao quadro de necrose denominado ceratomalácia, provocando assim uma cegueira irreversível.

Até o estágio de xerose, o olho pode ser recuperado sem sequelas através apenas do tratamento com vitamina A.

A Hipovitaminose A é um problema de saúde pública e atinge regiões pobres e carentes, como o Nordeste brasileiro, sendo essencial, portanto, que programas de políticas públicas sejam realizados.

Vale destacar que uma alimentação saudável é a chave para a prevenção de diversas doenças.

Assuntos Relacionados