Alimentação da Gestante
Devemos ter atenção redobrada à alimentação durante a gravidez

Cuidar da alimentação é essencial, independentemente da fase da vida. Em alguns momentos e condições, no entanto, uma atenção redobrada com os alimentos ingeridos pode ser exigida. Esse é o caso das mulheres grávidas, que necessitam de nutrientes adequados para o desenvolvimento saudável do bebê.

→ Como deve ser a alimentação da gestante?

A gestante deve estar sempre atenta à alimentação, procurando sempre ingerir alimentos saudáveis. Além de garantirem a saúde da mãe, esses alimentos ajudarão o bebê, pois os nutrientes necessários para o desenvolvimento da criança serão adequadamente fornecidos.

Uma alimentação adequada proporciona ainda uma série de outros benefícios, como evitar o ganho excessivo de peso durante a gestação, diabetes gestacional, hipertensão e enjoos. Vale salientar que cada mulher apresenta uma variação de peso durante esse período, mas a média de ganho varia entre 9 kg a 15 kg.

Veja a seguir algumas dicas valiosas sobre como deve ser a alimentação da gestante:

• A alimentação deve ocorrer em horários regulares, evitando ficar mais de três horas sem se alimentar. Recomenda-se ainda fazer as três refeições básicas (café da manhã, almoço e jantar) e lanches saudáveis entre elas.

• Não devem ser consumidas grandes quantidades de alimento.

Beber muita água. O recomendado são, em média, 2,5 litros de água, mas em dias quentes, por exemplo, a ingestão pode ser maior.

Consumir diariamente legumes, frutas e verduras e alimentar-se, preferencialmente, de alimentos na sua forma natural.

• Consumir alimentos ricos em ferro para evitar ocorrência de anemia, cálcio para ajudar na formação dos ossos do bebê, além de ácido fólico, que, no primeiro trimestre, reduz os riscos de má-formação do tubo neural.

• Procurar montar pratos com grande variedade de alimentos.

• Arroz e feijão são importantes para o fornecimento de aminoácidos essenciais à saúde.

• Dar preferência aos carboidratos integrais, pois são ricos em fibras.

• Consumir peixe, frango e dar preferência a carnes magras.

• Reduzir o consumo de alimentos ricos em gorduras, muito condimentados ou, ainda, muito doces. Vale salientar que alimentos ricos em gordura estão relacionados com o aumento dos sintomas de refluxo e azia.

• Evitar consumir refrigerantes e sucos industrializados.

• Diminuir o consumo de sal.

→ Cuidados especiais

Alguns alimentos merecem cuidados especiais. Veja a seguir:

Peixes e frutos do mar: Não ingerir esses alimentos crus e, durante a gravidez, não se alimentar de ostras e mariscos.

Vegetais: Higienizar adequadamente os vegetais, principalmente aqueles que serão comidos crus.

Carnes: Não ingerir carnes cruas ou mal passadas, pois elas podem transmitir doenças.

Leites: Evitar leites não pasteurizados e, caso faça consumo de leites de fazenda, ferver antes da ingestão.

Ovos: Não se alimentar de ovos com a gema mole, sempre os consuma completamente cozidos.

Bebidas alcoólicas: Não fazer uso de bebidas alcoólicas, pois prejudicam o desenvolvimento do bebê.

Assuntos Relacionados