Teste do Pezinho
Prevenção para toda a vida, por meio de um pouquinho de sangue.
O teste do pezinho é um exame realizado em recém nascidos, dias depois de seu nascimento, consistindo na retirada de uma pequena fração de sangue (algumas gotas) na região do calcanhar da criança, coletados em papel filtro especial e levados para análise em laboratório.

Normalmente, esse exame é realizado dois dias após o parto, sendo aconselhado não ultrapassar o sétimo dia de vida, visto a importância desse teste, capaz de detectar precocemente uma série de doenças metabólicas (genéticas) ou infecciosas, que afetam o desenvolvimento físico e mental de uma criança.

Dessa forma, intervindo com tratamento específico, é possível evitar seqüelas irreversíveis decorrentes à progressão de qualquer distúrbio orgânico, ou mesmo melhorar a qualidade de vida do ser humano, quando não restituída à condição normal do organismo.

Entre as principais patologias identificadas através do teste do pezinho, estão: Fibrose Cística, Toxoplasmose Congênita, Hiperplasia Congênita da Supra-Renal, Hemoglobinopatias (Anemia Falciforme, Hemofilia, Eritroblastose Fetal), Hipotiroidismo Congênito, Aminoacidopatias (Galactosemia, Fenilcetonúria), Infecção Congênita pelo HIV, Sífilis, Rubéola e Doença de Chagas.

Trata-se, portanto, de uma triagem neonatal, obrigatória em todo o Território Nacional, instituída por lei desde 1992.

É fornecido à população sem qualquer ônus (gratuitamente) por meio de regulamentações e ações de Saúde Pública, envolvendo o Sistema Único de Saúde (SUS), o exame, o diagnóstico, o tratamento e acompanhamento de um pacote simplificado, com apenas quadro patologias: Hemoglobinopatias, Fibrose Sistica, Hipotiroidismo Congênito e Fenilcetonúria.

Assuntos Relacionados