Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Ecologia
  4. A importância dos répteis e anfíbios para o equilíbrio ambiental

A importância dos répteis e anfíbios para o equilíbrio ambiental

Anfíbios e répteis são considerados bioindicadores da qualidade ambiental
Anfíbios e répteis são considerados bioindicadores da qualidade ambiental

Os répteis e os anfíbios são animais pecilotérmicos (sangue frio) com grande importância para o equilíbrio ambiental, mas infelizmente a maioria das pessoas desconhece isso e em razão de crendices e superstições matam muitos desses animais.

É importante saber que o Brasil é o país que apresenta a maior riqueza de espécies de anfíbios, e com relação aos répteis, perdemos apenas para a Austrália. Porém, novas espécies de répteis estão sendo descritas em nosso país e, assim, especialistas acreditam que em breve ele ocupará o primeiro lugar, sendo então o país que abriga a maior riqueza de espécies de anfíbios e também de répteis. Esse fato aumenta muito a responsabilidade de nosso país em relação à preservação dessas espécies, principalmente diante de fatos que evidenciam a redução populacional desses grupos em várias partes do Planeta.

A principal ameaça à herpetofauna (totalidade de espécies de répteis e anfíbios existentes em uma região) é o desmatamento, e segundo o pesquisador Vinícius da Silva, professor da Universidade Federal de Alfenas, Minas Gerais, “A redução de florestas significa redução da água, um recurso particularmente importante para os anfíbios, pois a maioria depende dela para se reproduzir”.

Um fato relevante é que agora, tanto anfíbios quanto répteis fazem parte de inventários e monitoramentos de fauna, ou seja, antes de se fazer qualquer empreendimento, é necessário um estudo de impacto ambiental naquele ambiente, para que sejam calculados quais os impactos ambientais que poderão gerar tanto para a fauna (mamíferos, aves, anfíbios e répteis) quanto para a flora. A partir desse estudo é possível minimizar esses impactos com medidas compensatórias. “Para preservar é preciso conhecer o que deve ser preservado para saber como se deve preservar”, explica Silva.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como dissemos, anfíbios e répteis são animais pecilotérmicos, e por não manterem a temperatura do corpo constante são muito suscetíveis a variações climáticas, sofrendo muito com o aumento da temperatura. Por serem animais que não se movimentam e nem se deslocam muito, eles se tornam vulneráveis a qualquer mudança em seu hábitat, e, além disso, os anfíbios, por apresentarem a pele permeável e por possuírem dois ciclos de vida (um na água e outro na terra), são extremamente sensíveis a substâncias tóxicas e poluentes, tanto do ar quanto da água. Por serem extremamente sensíveis a perturbações no ambiente, eles são considerados bioindicadores da qualidade ambiental.

Mas você deve estar se perguntando, por que esses animais são tão importantes para o equilíbrio ambiental? A resposta é simples, porque as serpentes controlam a população de ratos, e os anfíbios e lagartos se alimentam de uma grande variedade de insetos e outros artrópodes, além de servirem de alimento para diversos animais vertebrados. Diante disso, podemos concluir que répteis e anfíbios são organismos fundamentais para a cadeia alimentar e a redução na sua população afeta consideravelmente a estrutura trófica das comunidades.

Agora que você já sabe da importância desses animais para o equilíbrio ambiental, repasse esse conhecimento às outras pessoas, principalmente àquelas que jogam sal no sapo para espantá-lo, sem saber que isso causa graves queimaduras, e pode causar a morte do animal; que acham que se encostar em sapos, lagartixas ou cobras pegarão cobreiro; que acham que o sapo esguicha veneno, quando na verdade ele esguicha urina, que não faz mal nenhum ao homem, entre tantas outras superstições e crendices.

Assuntos Relacionados