Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Fisiologia
  4. Prolactina
Prolactina
Este senhor do Sri Lanka é capaz de amamentar. Segundo os médicos, “os homens com hormônio prolactina hiperativo podem produzir leite no peito”.
A adenohipófise ou lobo anterior da hipófise é uma glândula que produz diversos hormônios e, entre eles, a prolactina (LTH ou PRL). Esta última atua sobre os ovários, secretando a progesterona, e estimula a produção de leite. Atuando em sinergismo com a progesterona e o estrógeno, promove o crescimento e funcionamento das glândulas mamárias. A prolactina é produzida, principalmente, durante a gravidez e durante a amamentação.

Nos homens, pouco se sabe a respeito da atuação deste hormônio, contudo, é de conhecimento que altas concentrações prejudicam a produção de testosterona e causam um aumento do volume das mamas. Nas mulheres, a prolactina em níveis mais altos pode causar alterações menstruais, alterações nos caracteres sexuais secundários e até infertilidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O stress pode influenciar o aumento dos níveis de prolactina, reduzindo a produção de progesterona. Assim, percebe-se que uma tem efeito regulador sobre a outra.

Hipotireoidismo, anticoncepcionais, determinados antipsicóicos, antidepressivos, tranqüilizantes e bloqueadores de histamina, exercícios físicos intensos e câncer na tireóide podem aumentar os níveis deste hormônio. Além de tais fatores, causas fisiológicas, como: gravidez, amamentação, período neonatal, sono, exercícios e causas patológicas, como: patologias no hipotálamo, insuficiência renal, hipotireoidismo e ovários policísticos alteram estes valores.

A liberação reduzida de prolactina sugere alguma doença que causa destruição da hipófise.


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Assuntos Relacionados