Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Seres Vivos
  4. Reino Animalia
  5. Adaptações das aves para o voo

Adaptações das aves para o voo

As aves possuem várias adaptações adquiridas ao longo de sua evolução
As aves possuem várias adaptações adquiridas ao longo de sua evolução

A classe das aves abriga animais vertebrados, endotérmicos, ovíparos, que se caracterizam por possuírem penas, membros anteriores transformados em asas e outras características que foram adquiridas ao longo de sua evolução e que lhes permitem alçar voo.  Embora a maioria dessas características seja comum a todos os animais da classe, muitas espécies de aves não conseguem alçar voo, como é o caso dos pinguins, ema, quivi e avestruzes.

Estrutura da pena de uma ave
Estrutura da pena de uma ave

As penas encontradas em todas as espécies de aves são extremamente leves e flexíveis, formadas por queratina e produzidas de maneira semelhante ao pelo dos mamíferos. Tem como função proteger contra coques mecânicos, impermeabilizar a pele e manter a temperatura corporal do animal constante, servindo de isolante térmico. A estrutura de uma pena consiste em um eixo central, chamado de ráquis, que se encontra inserido em uma base chamada de cálamo. Da ráquis saem pequenos filamentos chamados de barbas, e das barbas saem outros filamentos ainda menores chamados de bárbulas. Na figura podemos perceber que as bárbulas prendem-se umas às outras através de ganchos. Isso mantém as penas organizadas e promove a proteção da pele e a sustentação para o voo. Ao alisarem as penas com o bico, as aves estão alinhando as bárbulas para que seus ganchos se encaixem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As aves são desprovidas de dentes e bexiga; e algumas espécies possuem somente um ovário. A ausência desses órgãos permite às aves a diminuição de seu peso, favorecendo o voo.

Outra adaptação das aves para o voo é a estrutura esquelética. Dotadas de ossos finos, leves e não maciços (que ajudam na redução do peso), as aves apresentam ossos pneumáticos que se unem a sacos aéreos (bolsas que saem dos pulmões), com a função de diminuir a densidade do animal, facilitando o voo e a natação (no caso de aves que mergulham).

As aves apresentam o que chamamos de anquilose, que é a fusão das articulações. Dessa forma, algumas partes de seu esqueleto são soldadas. Isso pode ser observado na fusão dos ossos da clavícula, formando a fúrcula, conhecida por muitos como o osso da sorte. Nas vértebras também há anquilose em virtude da fusão de algumas vértebras e ossos da cintura pélvica.

Na parte anterior da caixa torácica das aves, vemos uma dilatação do osso esterno, formando uma estrutura chamada de quilha ou carena. Essa estrutura é uma adaptação das aves para a implantação dos músculos fundamentais ao voo. Aves que não voam podem não apresentar quilha, e por isso são chamadas de ratitas; enquanto que as aves que possuem quilha são chamadas de carenatas.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados