Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Ecologia
  4. Aposematismo

Aposematismo

Também chamado de coloração de advertência, o aposematismo é uma adaptação que certas espécies adquirem ao longo de sua evolução para a sua defesa. Através do aposematismo essas espécies revelam cores vivas e marcantes, como uma forma de advertir seus possíveis predadores de seu gosto impalatável ou dos venenos que possui, como se quisessem dizer a eles: Não encostem em mim, pois posso lhes fazer mal.

Cores como vermelho, amarelo, laranja, verde, azul etc. são cores que chamam a atenção e, por isso, são muito utilizadas por destacarem os seres vivos perigosos. Essas cores podem cobrir uniformemente o corpo do organismo ou formar variações entre elas.

Um ser vivo que se beneficia do aposematismo alerta o seu predador para não consumi-lo, fazendo-o desistir do ataque. Evolutivamente, os seres predadores passaram a identificar e evitar os organismos de cores aposemáticas, que podem causar grandes prejuízos a quem os consumir.

Aproveitando-se dessas cores que afugentam os predadores, alguns animais começaram a “copiar” as cores dos organismos que realmente causam algum prejuízo. Esse é o caso da cobra coral falsa, que não possui veneno, mas que imita as cores da cobra coral verdadeira, extremamente venenosa. Essa capacidade que alguns animais têm de copiar as cores e/ou formato do corpo de outros é chamada de mimetismo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A cobra coral falsa imita as cores da cobra coral verdadeira para ser evitada pelos predadores
A cobra coral falsa imita as cores da cobra coral verdadeira para ser evitada pelos predadores

O mimetismo ocorre em várias outras espécies de animais e também entre os vegetais. Um exemplo ocorre entre a borboleta monarca e a borboleta vice-rei. A borboleta monarca é impalatável, e, portanto, não é atacada por predadores. Por esse motivo, a borboleta vice-rei, que é palatável, adquiriu ao longo de sua evolução as mesmas cores da borboleta monarca, a fim de ser confundida e não ser atacada por predadores.

Na figura 1 vemos a borboleta monarca, enquanto que na figura 2 podemos observar a borboleta vice-rei
Na figura 1 vemos a borboleta monarca, enquanto que na figura 2 podemos observar a borboleta vice-rei

Entre os vegetais também há casos de mimetismo. Na figura abaixo podemos observar a orquídea Ophrys apifera, que imita uma abelha, liberando um cheiro para atrair os machos, ajudando-a em sua reprodução.

Até mesmo os vegetais se beneficiam do mimetismo para se beneficiarem
Até mesmo os vegetais se beneficiam do mimetismo para se beneficiarem

Alguns seres vivos fazem uso de cores vivas e marcantes para serem evitados pelos seus predadores
Alguns seres vivos fazem uso de cores vivas e marcantes para serem evitados pelos seus predadores
Publicado por: Paula Louredo Moraes