Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Reprodução
  4. Casos especiais de reprodução

Casos especiais de reprodução

Casos especiais de reprodução
Dragão de Komodo nascido por partenogênese.

Indivíduos reproduzem-se quando geram descendentes, sendo este um processo inerente aos seres vivos. Esta nova geração pode ser geneticamente idêntica ao organismo que a originou, ou apenas semelhante. No primeiro caso, trata-se da reprodução assexuada, na qual não há troca de gametas entre indivíduos. Já no segundo, existe tal troca, com gametas oriundos de um mesmo indivíduo (autofecundação); ou diferentes (fecundação cruzada).

Existem algumas modalidades reprodutivas que fogem um pouco à regra do que costumamos associar a estes conceitos. Uma destas são os clones, estes que podem ser o resultado de procedimentos laboratoriais, ou não, como é o caso da fissão binária de bactérias, na qual uma pré-existente origina duas novas, idênticas entre si. No caso da conjugação, típica de organismos unicelulares e algas filamentosas, há troca de material genético dos núcleos de células de algas distintas.

Há também um caso interessante denominado metagênese, típico de cnidários e plantas sem sementes, onde ora um mesmo organismo reproduz-se assexuadamente, ora sexuadamente. Já na neotenia, indivíduos larvais de determinadas espécies, como a axolote, em face de fatores ambientais ou genéticos apresentam-se com capacidade reprodutiva.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Um caso um pouco menos conhecido de reprodução especial é a partenogênese, que consiste no desenvolvimento do embrião a partir de óvulos não fecundados. É o caso dos zangões, algumas borboletas e pulgões. Indivíduos larvários, quando dão origem a novas larvas por partenogênese ou por células não reprodutivas, estão praticando a pedogênese, evento que pode ser visualizado Fasciola hepatica e Schistosoma mansoni.

Para finalizar, temos a poliembrionia e a poliovulação. A primeira consiste no nascimento de dois ou mais indivíduos idênticos, sendo estes, necessariamente, do mesmo sexo; e a segunda, quando há a liberação e fecundação de mais de um óvulo em uma mesma gestação, dando origem a indivíduos semelhantes. 

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados