Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Fisiologia
  4. Contração muscular esquelética

Contração muscular esquelética

A contração muscular esquelética é responsável por nossa capacidade de movimentação e está relacionada com duas importantes proteínas: a actina e a miosina.

Os músculos são responsáveis, dentre outras funções, pela nossa locomoção
Os músculos são responsáveis, dentre outras funções, pela nossa locomoção

A movimentação do nosso corpo é conseguida graças a uma série de movimentos do nosso sistema locomotor, sendo os músculos essenciais nesse processo graças à sua grande capacidade de contração. Entretanto, nem todo movimento do músculo leva ao deslocamento do corpo, sendo essa contração responsável também pelo processo de respiração, batimento cardíaco e outros.

Tipos de tecido muscular

Os músculos podem ser classificados em três tipos: estriados esqueléticos, estriados cardíacos e não estriados ou lisos. Esses últimos apresentam contração involuntária, assim como os estriados cardíacos. Os músculos não estriados são encontrados em órgãos internos como a bexiga e útero, enquanto os cardíacos são encontrados no coração. O músculo estriado esquelético, por sua vez, apresenta contração voluntária e está associado ao esqueleto.

Características do músculo estriado esquelético

O músculo estriado esquelético é formado por feixes de células de formato cilíndrico, longas e que apresentam vários núcleos (multinucleadas). As fibras musculares esqueléticas se destacam pela presença de estriações transversais, com alternância entre faixas claras e escuras. A faixa escura é chamada de banda A, enquanto a clara é chamada de banda I. No centro de cada banda I observa-se a linha Z, uma linha transversal escura. Enquanto na banda A observa-se uma zona mais clara denominada de banda H.

As estrias nos músculos estriados esqueléticos ocorrem em razão da repetição das unidades denominadas de sarcômeros. Os sarcômeros são regiões delimitadas por duas linhas Z sucessivas e que apresentam uma banda A separando duas matades de banda I. Cada banda I é formada apenas por filamentos finos constituídos de actina (proteína relacionada à contração). Já a banda A é formada por filamentos finos e filamentos grossos, sendo esses últimos constituídos de miosina (proteína relacionada à contração). Na banda H verifica-se apenas a presença de filamentos grossos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Contração do músculo estriado esquelético

Observe que a contração muscular se baseia no deslizamento de filamentos grossos e finos
Observe que a contração muscular se baseia no deslizamento de filamentos grossos e finos

Quando um sarcômero está em repouso, filamentos grossos e finos se sobrepõem parcialmente, porém, quando o músculo se contrai, um filamento desliza sobre o outro em grande proporção, diminuindo o tamanho do sarcômero. Sendo assim, a contração baseia-se no deslizamento dos filamentos uns sobre os outros.

Em um músculo em repouso não há interação entre a actina e a miosina, pois há fixado no filamento de actina um complexo denominado complexo troponina-tropomiosina. Quando há a liberação de íons Ca2+, esses mudam a configuração da troponina, levando à exposição dos locais de ligação entre a actina e a miosina. Ocorrendo a interação entre as proteínas, é liberada energia e observa-se uma deformação na cabeça da miosina que se curva e acaba empurrando o filamento de actina, causando o deslizamento dessas proteínas. Esse fenômeno repete-se seguidas vezes, levando à uma sobreposição dos filamentos de actina e miosina.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados