Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Genética
  4. Dominância e recessividade

Dominância e recessividade

As relações de dominância e recessividade são observadas quando os alelos são responsáveis pela expressão ou não de um dado fenótipo.

Os genes podem ser definidos como uma porção de DNA que determina alguma característica do organismo. Possuímos, por exemplo, genes que determinam a cor da pele, nosso tipo sanguíneo, o tipo de cabelo e todas as outras características do nosso corpo.

Os genes que ocupam o mesmo lugar em cromossomos homólogos (idênticos em forma e que constituem pares) são chamados de alelos. Os alelos determinam uma mesma característica, porém podem ou não determinar o mesmo aspecto. De uma maneira resumida, podemos dizer que um alelo é uma forma alternativa de um gene, que pode produzir efeitos distintos.

→ O que são alelos dominantes?

Os alelos dominantes podem ser definidos como aqueles que, mesmo em dose simples, conseguem manifestar-se. Isso significa que, quando um alelo dominante está presente, o organismo poderá ser homozigoto ou heterozigoto, e mesmo assim o fenótipo será expressado.

Um exemplo clássico é a produção de melanina, que é determinada por um alelo dominante que chamaremos de A. O outro alelo existente, a, é recessivo e determina a não produção dessa proteína. Em indivíduos AA e Aa, haverá produção de melanina, uma vez que o alelo A é dominante e mesmo em dose simples já se expressa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

→ O que são alelos recessivos?

Os alelos recessivos diferenciam-se dos alelos dominantes por não serem capazes de expressarem-se em heterozigotos. Esses alelos somente se expressam no fenótipo caso estejam presentes aos pares, ou seja, devem estar em homozigose.

Utilizando o mesmo exemplo citado anteriormente, temos que a falta de melanina somente ocorrerá quando os indivíduos forem homozigotos para o gene recessivo, ou seja, aa. Isso se deve ao fato de que o alelo a é recessivo, expressando-se apenas aos pares. A falta de melanina determina uma condição conhecida como albinismo (ver imagem no início deste texto), em que o indivíduo apresenta falta de pigmentação em pelos e pele e é mais suscetível a queimaduras solares e câncer de pele.

Atenção: Nem todos os alelos apresentam relação de dominância e recessividade entre si. Existem casos de dominância incompleta, quando a combinação de alelos produz um fenótipo intermediário, e de codominância, na qual ocorre a manifestação dos dois alelos.

O albinismo é uma condição determinada por alelos recessivos
O albinismo é uma condição determinada por alelos recessivos
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados