Métodos contraceptivos

Métodos contraceptivos visam impedir uma gravidez. Diversos métodos estão disponíveis hoje no mercado, sendo possível escolher, entre eles, aquele que melhor é adequável à necessidade do usuário. A seguir conheceremos alguns dos principais métodos contraceptivos disponíveis na atualidade.

Leia também: Gravidez – sintomas, classificação e descrição das semanas

O que são métodos contraceptivos e para que servem?

Métodos contraceptivos são comportamentos, medicamentos, intervenções cirúrgicas ou objetos utilizados com o intuito de impedir uma gravidez. Atualmente existem vários tipos deles, que vão desde os que garantem praticamente o fim da fertilidade, como os métodos cirúrgicos, até os que, se interrompidos, garantem o retorno imediato da capacidade de gerar filhos, sendo esse o caso da camisinha.

Os métodos contraceptivos podem ser utilizados tanto por homens quanto por mulheres, sendo necessário um consenso entre o casal para que o melhor seja escolhido. Assim como não existe nenhum método completamente eficaz, não existe a definição do melhor método contraceptivo a ser adotado. Isso se deve ao fato de que cada casal vive uma realidade diferente, e fatores, como saúde do usuário, valor do método e vontade de ter filhos futuramente, devem ser analisados.

Diversos fatores devem ser levados em consideração ao escolher-se o método contraceptivo ideal.
Diversos fatores devem ser levados em consideração ao escolher-se o método contraceptivo ideal.

Apesar dos anticoncepcionais orais, por exemplo, garantirem uma grande eficácia na prevenção contra a gravidez, muitas mulheres relatam efeitos desagradáveis com seu uso. Desse modo, para essas, esse método não é o melhor a ser adotado.

Outro exemplo que demonstra como a escolha do método deve ser avaliada individualmente, é o uso do Dispositivo Intrauterino (DIU), válido por cerca de cinco anos. Sendo assim, se um casal pensa em ter um filho em breve, esse método não seria o melhor a ser adotado.

Leia também: Como funciona o teste de gravidez de farmácia?

Vale salientar que os métodos contraceptivos, como o nome indica, visam apenas impedir uma gravidez. Isso significa que eles não são voltados à proteção contra infecções sexualmente transmissíveis (IST).

Com exceção das camisinhas masculina e feminina, todos os outros métodos protegem apenas contra uma gravidez indesejada, sendo recomendado os seus usos em associação com a camisinha, para a devida proteção contra doenças.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Classificação dos métodos contraceptivos

Os métodos contraceptivos podem ser classificados nos seguintes grupos:

Métodos contraceptivos de barreira

Como o nome indica, esse métodos formam uma barreira, física ou química, que impede que o gameta masculino encontre o gameta feminino. Veja, a seguir, alguns exemplos:

  • Camisinha masculina: funciona como uma pequena capa que reveste o pênis durante a relação sexual. Quando a ejaculação ocorre, o esperma fica retido na camisinha. Uma das principais vantagens da camisinha é o fato de que ela protege contra infecções sexualmente transmissíveis.

  • Camisinha feminina: é colocada no interior da vagina e impede o contato direto entre o pênis e essa região. Quando a ejaculação ocorre, o esperma fica retido dentro dela. Assim como a camisinha masculina, a camisinha feminina garante proteção contra infecções sexualmente transmissíveis.

A camisinha feminina também garante proteção contra IST.
A camisinha feminina também garante proteção contra IST.
  • Diafragma: é uma espécie de capa que deve ser colocada dentro da vagina até atingir o colo do útero. Como é colocado no colo do útero, esse material impede que o espermatozoide encontre o ovócito.

  • Espermicida: funciona como um método de barreira químico. Trata-se de uma substância, colocada no interior da vagina, que causa a morte ou imobilização dos espermatozoides. Pode ser usado sozinho ou então em combinação com outros métodos.

Acesse também: Fecundação humana – a união dos gametas masculino e feminino

Dispositivo intrauterino

O Dispositivo intra-uterino (DIU) é colocado no interior do útero para garantir a prevenção contra a gravidez. Podemos encontrar dois tipos diferentes de DIU:

  • DIU de cobre: é um dispositivo intrauterino que não libera hormônios. Ele atua causando modificações no endométrio e no muco cervical, além de provocar danos aos ovócitos em decorrência do cobre nele presente.

O DIU é colocado no interior do útero.
O DIU é colocado no interior do útero.
  • Sistema Intrauterino Liberador de Levonorgestrel (SIU-LNG ou Mirena®): difere-se do DIU com cobre por liberar o hormônio levonorgestrel no interior do útero. Ele atua protegendo contra a gravidez, pois controla, principalmente, o desenvolvimento do endométrio e promove o espessamento do muco cervical, dificultando a movimentação do espermatozoide.

Métodos contraceptivos hormonais

Os métodos contraceptivos hormonais são aqueles que previnem a gravidez por meio da utilização de hormônios sintéticos. Dentre os principais métodos hormonais, podemos citar:

As pílulas anticoncepcionais contêm hormônios femininos sintéticos.
As pílulas anticoncepcionais contêm hormônios femininos sintéticos.
  • Pílulas anticoncepcionais: podem ser combinadas e conter estrogênio e progesterona sintéticos ou conter apenas progesterona. Elas atuam impedindo a ovulação e também garantindo o espessamento do muco cervical.

  • Anticoncepcionais injetáveis: assim como as pílulas, contêm hormônios similares aos que são produzidos no corpo da mulher. Existem diferentes tipos de anticoncepcionais injetáveis, sendo alguns aplicados mensalmente, e outros, a cada três meses. O mecanismo de ação baseia-se no impedimento da ovulação.

Leia também: Riscos dos contraceptivos orais

Métodos naturais / abstinência periódica

Esses métodos baseiam-se, principalmente, na identificação do período fértil e na abstinência sexual nesse período. Veja, a seguir, mais sobre esses métodos naturais:

  • Tabelinha: identificação do período fértil da mulher após a análise de, pelo menos, seis ciclos menstruais. Após a realização de cálculos e determinação do período fértil, a mulher deverá abster-se de relações sexuais desprotegidas nesse período.

  • Método da temperatura basal: acompanhamento diário da temperatura da mulher. Observa-se um aumento de, pelo menos, 5 ºC na temperatura após a ovulação. Nesse período a relação sexual desprotegida deve ser evitada.

  • Método de Billings (muco cervical): avaliação da viscosidade do muco cervical durante o ciclo menstrual. No período da ovulação, verifica-se que o muco torna-se mais claro e abundante. Nesse período a mulher deve evitar relações sexuais sem proteção.

  • Coito interrompido: retirada do pênis da vagina antes da ejaculação, portanto, esse método necessita de grande autocontrole do homem.

Métodos cirúrgicos

Os métodos cirúrgicos são de alta eficácia e garantem uma proteção considerada definitiva, pois as cirurgias de reversão desses procedimentos nem sempre conseguem retomar a fertilidade do indivíduo. Veja, a seguir, mais sobre:

Os métodos cirúrgicos são considerados definitivos.
  • Vasectomia: consiste em uma secção no canal deferente, a qual impede a passagem do espermatozoide. O homem, após essa cirurgia, é capaz de ejacular normalmente, porém o sêmen não contém espermatozoides.

  • Laqueadura ou ligação das tubas: baseia-se na obstrução das tubas uterinas, que podem ser cortadas e amarradas; fechadas pela utilização de grampos ou anéis; ou cauterizadas. Essa técnica atua impedindo que o espermatozoide chegue até o ovócito e ocorra a fecundação.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Assuntos Relacionados