Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Biologia
  3. Histologia Animal
  4. Tecido epitelial

Tecido epitelial

O tecido epitelial apresenta como características principais a presença de pouca substância intercelular e células justapostas.

O tecido epitelial caracteriza-se pela pouca quantidade de material intercelular e por apresentar células extremamente unidas (justapostas). Esse tecido não apresenta vasos sanguíneos, sendo que sua nutrição e oxigenação, assim como a remoção de detritos, são feitas através de capilares do tecido conjuntivo adjacente.

O tecido epitelial desenvolve variadas funções, tais como proteção, absorção, secreção e excreção. Ele é encontrado revestindo órgãos, além de ser responsável pela formação das glândulas. Sua origem pode ser a partir do ectoderma, mesoderma ou endoderma.

As células epiteliais estão presas à chamada membrana basal, uma estrutura que atua na proteção do tecido conjuntivo subjacente. Na superfície livre, as células epiteliais podem apresentar modificações na sua membrana plasmática, tais como microvilosidades e cílios.

Podemos classificar o tecido epitelial de acordo com o formato das células, de seu arranjo, ou, ainda, de acordo com sua função.

De acordo com a forma, o tecido epitelial é classificado em:

- Pavimentoso: Nesse tipo de tecido epitelial, as células apresentam-se achatadas. É encontrado, por exemplo, formando a epiderme;

- Cúbico: As células, nesse tipo de tecido, caracterizam-se pelo formato de cubo. Esse epitélio é encontrado em cinco locais básicos: ductos e ácinos das glândulas, túbulos renais, epitélio germinativo do ovário e na retina;

- Prismático: São células altas e retangulares. Esse tipo de tecido epitelial pode ser encontrado na mucosa do estômago, nos ductos biliares, nas tubas uterinas, entre outros locais.

De acordo com o arranjo, podemos classificar o tecido epitelial em:

- Simples: Nesse tipo de epitélio, o tecido apresenta-se com apenas uma camada de células;

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

- Estratificado: O arranjo, nesse tipo de epitélio, apresenta-se com várias camadas de células;

- Pseudoestratificado: Aparentemente apresenta mais de uma camada, entretanto, todas as células estão ancoradas na membrana basal;

- Transição: Encontrado no sistema excretor, esse epitélio caracteriza-se por sua grande capacidade de distensão e por ser formado por várias camadas de células.

Classificação dos epitélios segundo a forma e arranjo
Classificação dos epitélios segundo a forma e arranjo

De acordo com sua função, o tecido epitelial é classificado em:

- Revestimento: Responsável por revestir o corpo externamente, bem como órgãos e algumas cavidades corporais. Atua protegendo o corpo contra a entrada de organismos patogênicos e evita perda excessiva de água;

- Glandular: É o tecido epitelial responsável pela síntese de substâncias. Podemos classificar o tecido glandular em: glândulas exócrinas, endócrinas e mistas. As glândulas exócrinas apresentam ductos excretores que lançam sua secreção para fora do corpo ou para o interior de cavidades de órgãos. Já as glândulas endócrinas lançam sua secreção no sangue e não possuem ductos excretores. Esse último tipo de glândula é responsável pela produção de hormônios. As glândulas ditas mistas apresentam regiões endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo.

O pâncreas é um exemplo de glândula exócrina
O pâncreas é um exemplo de glândula exócrina

O tecido epitelial relaciona-se, portanto, com funções extremamente importantes do corpo, tais como a proteção contra micro-organismos, perda de água e produção de hormônios.

A figura mostra um tecido epitelial pseudoestratificado do trato respiratório
A figura mostra um tecido epitelial pseudoestratificado do trato respiratório
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados