Urubu

O urubu é uma ave bastante conhecida por alimentar-se de organismos em decomposição. Esse animal contribui, portanto, para a limpeza do meio ambiente.

O urubu-de-cabeça-preta é o mais conhecido dos urubus brasileiros.
O urubu-de-cabeça-preta é o mais conhecido dos urubus brasileiros.

Os urubus são aves da família Cathartidae, mesma família dos condores. Esses animais são conhecidos, principalmente, por seu hábito alimentar, baseado, geralmente, na ingestão de carne em decomposição. Em virtude de seu hábito alimentar, os urubus destacam-se por seu papel na limpeza do ambiente, pois garantem a eliminação de carcaças de animais, diminuindo, assim, o risco de doenças provenientes desses corpos em decomposição.

Características dos urubus

Os urubus são aves de grande porte encontradas, exclusivamente, no continente americano. No Brasil, é possível encontrar cinco espécies desses animais: urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus), urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura), urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus), urubu-rei (Sarcoramphus papa) e urubu-da-mata (Cathartes melambrotus).

Os urubus são aves que possuem olfato e visão bem-desenvolvidos, características que favorecem a busca de alimentos. Vale salientar que o olfato é um dos sentidos menos desenvolvidos nas aves. Os urubus são, portanto, uma exceção.

Leia também: Ararinha-azul

Esses animais destacam-se ainda por serem capazes de realizar voos planados por grandes áreas gastando pouca energia. Isso ocorre porque essas aves fazem sua ascensão nas correntes de ar quente que sobem do solo. Esse é o principal motivo pelo qual esses animais evitam voar no período da manhã.

O urubu gasta pouca energia durante seu voo.
O urubu gasta pouca energia durante seu voo.

No que diz respeito às características morfológicas, esses animais destacam-se pela pouca quantidade ou ausência de penas na região da cabeça e do pescoço. Essa região sem penas está relacionada com a alimentação dessas aves. Como os urubus alimentam-se de carne em decomposição, a cabeça e o pescoço ficam, frequentemente, sujos com os restos desse alimento. Como não há penas na região da cabeça e do pescoço, torna-se mais fácil a limpeza dessa área.

Os urubus são animais que não constroem ninhos. Para colocar seus ovos, utilizam fendas em penhascos ou árvores ocas. Nas grandes cidades, os urubus podem utilizar sacadas de prédios para colocar seus ovos. O período de incubação dos ovos varia de 40 dias a 60 dias. Geralmente, o urubu coloca de dois a três ovos dependendo da espécie analisada.

Tamanho dos urubus

Os urubus são aves de grande porte que podem pesar de 1,5 quilos a 12 quilos. Seu tamanho também é muito variado. O urubu-rei, por exemplo, é o maior urubu do Brasil e apresenta de 71 centímetros a 81 centímetros de comprimento. A envergadura de sua asa pode chegar a 1,8 metro. Já o urubu-de-cabeça-preta apresenta entre 56 centímetros e 66 centímetros de comprimento.

Alimentação dos urubus

A alimentação dos urubus consiste, principalmente, na ingestão de carcaças de animais (carne em decomposição). Entretanto, vale salientar que, de maneira menos frequente, os urubus podem alimentar-se de alguns frutos ou de animais que estejam fracos.

Os urubus alimentam-se, principalmente, de carcaças de animais em decomposição.
Os urubus alimentam-se, principalmente, de carcaças de animais em decomposição.

Os urubus apresentam várias adaptações relacionadas com sua forma de alimentação. Por apresentarem hábitos carniceiros, são animais com olfato altamente desenvolvido. São capazes, por isso, de identificar alimentos até mesmo em regiões de mata fechada. Além disso, possuem visão bastante desenvolvida.

Por se alimentarem de animais em decomposição, os urubus são bastante encontrados em cidades que apresentam problema de saneamento básico. Eles são vistos em lixões, matadouros e em locais em que há lixo disperso.

Leia também: Pombo doméstico

Espécies de urubus

O urubu-de-cabeça-amarela é uma das cinco espécies de urubus encontradas no Brasil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O urubu-de-cabeça-amarela é uma das cinco espécies de urubus encontradas no Brasil.

No total, existem sete espécies de urubus no mundo, e cinco delas são encontradas no Brasil. As espécies encontradas em nosso país são: urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus), urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura), urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus), urubu-rei (Sarcoramphus papa) e urubu-da-mata (Cathartes melambrotus).

Urubu-de-cabeça-vermelha

O urubu-de-cabeça-vermelha apresenta a cabeça e o pescoço com coloração avermelhada.
O urubu-de-cabeça-vermelha apresenta a cabeça e o pescoço com coloração avermelhada.

O urubu-de-cabeça-vermelha, como o próprio nome indica, apresenta como característica marcante a pele da cabeça e do pescoço vermelha. A plumagem dessa espécie é predominantemente preta, sendo possível, durante o voo, observar penas de coloração cinza-escura nas asas.

Esse urubu alimenta-se, predominante, de carcaças de animais mortos, podendo, algumas vezes, matar pequenos vertebrados. Destaca-se por sua grande capacidade olfativa, entretanto, apesar de localizar o alimento rapidamente, é, muitas vezes, retirado da carcaça por outras espécies.

Urubu-de-cabeça-preta

O urubu-de-cabeça-preta, também conhecido como corvo, urubu-comum, urubu-preto ou apitã, é a espécie mais observada nas cidades e está distribuído por todo o país. Assim como as outras espécies de urubus, alimenta-se de carcaças de animais mortos, mas destaca-se também por alimentar-se de lixo orgânico. É, por isso, frequentemente visto em lixões.

Esse urubu mede, em média, 60 centímetros, suas penas e a pele da região da cabeça e do pescoço são pretas. Durante o voo, é possível observar algumas penas brancas que ficam na ponta de suas asas. Essa característica permite diferenciar o urubu-de-cabeça-preta de outros urubus.

Urubu-rei ou urubu-branco

O urubu-rei apresenta a cabeça e o pescoço coloridos e a plumagem branca.
O urubu-rei apresenta a cabeça e o pescoço coloridos e a plumagem branca.

O urubu-rei, também conhecido como urubu-branco, corvo-branco, urubu-real, urubutinga, urubu-rubixá ou iriburubixá, é o maior urubu brasileiro. Mede entre 71 centímetros e 81 centímetros de comprimento e apresenta envergadura de asas que pode chegar a 180 centímetros. Seu peso varia entre 3 quilos e 3,7 quilos. Ele é encontrado desde o sul do México até o norte da Argentina, incluindo o Brasil, e vive em florestas que apresentam clareiras, localizadas próximas a paredões e áreas montanhosas no Cerrado e na Caatinga.

Sua plumagem predominante é branca, e sua cabeça e pescoço destacam-se por serem coloridos. Esse urubu distingue-se das outras espécies por possuir um bico bem forte e curvado. Em razão desse bico, o urubu-rei recebe o título de despedaçador.

O urubu-rei é assim chamado por ter grande porte e por alimentar-se sempre primeiro que os outros urubus quando frequenta uma carniça compartilhada. Isso acontece porque essa espécie, em decorrência de seu bico reforçado, consegue rasgar com maior agilidade carcaças de animais que servirão de alimento.

Curiosidades sobre urubus

  • Os urubus são encontrados, exclusivamente, no continente americano.

  • Os urubus apresentam o olfato muito desenvolvido. O urubu-de-cabeça-vermelha, por exemplo, é capaz de encontrar alimento escondido dentro de regiões de mata fechada.

  • A região sem penas na cabeça e no pescoço evita acúmulo de restos de alimento.

  • Urubus não possuem siringe (órgão vocalizador das aves).

  • Os urubus são animais que apresentam grande resistência às bactérias encontradas em alimentos em decomposição. Sendo assim, não ficam doentes em decorrência desse tipo de alimentação.

  • Alguns urubus, ocasionalmente, caçam.

  • São frequentes os casos de colisão entre urubus e aeronaves. Os urubus-de-cabeça-preta são responsáveis por 25% desses acidentes.

Assuntos Relacionados