Vacina BCG

A BCG é uma vacina criada em 1921 e que até hoje é usada na prevenção contra a tuberculose.

A vacina BCG deve ser aplicada preferencialmente em crianças recém-nascidas
A vacina BCG deve ser aplicada preferencialmente em crianças recém-nascidas

A BCG (Bacilo Calmette-Guérin) é uma vacina contra a tuberculose, uma doença infectocontagiosa que ataca principalmente os pulmões, porém pode ocorrer em outros órgãos. A vacina é produzida a partir de uma bactéria encontrada em bovinos que se chama Mycobacterium bovis, muito semelhante à Mycobacterium tuberculosis responsável pela patologia.

A vacina foi desenvolvida por Camille Guérin e Albert Calmette em Paris e começou a ser produzida em 1921. Inicialmente, a BCG era administrada oralmente, somente a partir de 1968 que começou a ser aplicada via intradérmica no Brasil. Ela é injetada no braço direito da criança, na parte inferior de uma região chamada de deltoideana.

Após a aplicação da vacina, surge uma pequena lesão, que inicialmente se apresenta como uma mancha arroxeada e dá origem a uma pápula, que é uma elevação sólida da pele. Após cerca de um mês, a pápula regride e origina uma úlcera, que origina uma cicatriz (observe o seu braço direito). Caso a lesão fique muito grande e com grande quantidade de pus, é necessário procurar o médico.

A BCG faz parte do Calendário Básico de Vacinação e é obrigatória para menores de um ano, que devem ser vacinados de preferência antes de deixar a maternidade. É importante destacar que, para os recém-nascidos receberem a vacina, eles devem apresentar um peso igual ou maior que 2kg e estar em perfeitas condições de saúde. Estudos indicam que as crianças que não foram vacinadas no início da vida podem e devem receber a vacina durante a idade escolar.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por muito tempo no Brasil foi recomendada a segunda dose para a BCG em razão do declínio no seu efeito protetor. Entretanto, um estudo realizado em Salvador e em Manaus demonstrou que não havia necessidade de um reforço porque a proteção conferida pela segunda dose era tão sutil que não justificava uma nova aplicação.

A vacina apresenta uma proteção de mais de 80% contra as formas graves e disseminadas da doença, como a meningite tuberculosa e a tuberculose miliar. No que diz respeito à tuberculose pulmonar, sua eficacia é bastante variável, indo de zero a 80%, além de apresentar diferenças entre os países.

A BCG não é recomendada em casos de imunodeficiências, peso inferior a 2 kg, desnutrição, febre, tratamento com corticoides ou doenças crônicas. Após a vacinação, são poucos os relatos de efeitos adversos.

Curiosidade: 1º de julho é considerado o dia da vacina BCG.

Assuntos Relacionados