Novembro Azul

A fim de conscientizar a população, principalmente a masculina, sobre os riscos do câncer de próstata, formas de prevenção e as maneiras de diagnosticar a doença, surgiu o movimento internacional Novembro Azul. Durante todos os trinta dias de novembro, são realizadas campanhas de esclarecimento sobre a doença, além da iluminação dos pontos turísticos ao redor do mundo como forma de divulgar o movimento.

Comemorado inicialmente na Austrália, em 2003, esse mês foi escolhido porque é o mesmo em que se comemora o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado no dia 17 de novembro.

Leia também: Outubro Rosa – a campanha contra o câncer de mama

Por que essa campanha é tão importante?

 O Novembro Azul é um movimento que visa à conscientização a respeito do câncer de próstata.
O Novembro Azul é um movimento que visa à conscientização a respeito do câncer de próstata.

O câncer de próstata é o câncer que mais afeta a população masculina do nosso país, depois do câncer de pele não melanoma. Somente em 2018, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), eram esperados 68.220 novos casos da doença no Brasil.

Apesar de ser uma doença grave, cerca de 90% dos casos são passíveis de cura, desde que o diagnóstico seja realizado precocemente. No entanto, para que isso seja possível, há um grande desafio: o preconceito. A maioria dos homens evita procurar o médico por temer o exame de toque retal, que, além do câncer, é importante para diagnosticar outros problemas anorretais e da próstata. De acordo com o Inca, a cada 38 minutos, um homem morre em decorrência do câncer de próstata.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é a próstata?

A próstata é uma importante glândula do sistema reprodutor masculino, responsável por produzir uma secreção que compõe o sêmen. Essa secreção possui nutrientes para os espermatozoides e também enzimas anticoagulantes, sendo fundamental, portanto, para garantir um ambiente adequado para os gametas masculinos.

A próstata apresenta o tamanho aproximado de uma castanha e está localizada na região logo abaixo da bexiga, em frente ao reto. Parte da uretra é circundada por essa glândula, portanto, alterações em sua morfologia podem ser responsáveis por desencadear problemas na eliminação da urina. Essas alterações podem ser identificadas no exame de toque retal em virtude da posição que a próstata ocupa no corpo masculino.

Leia também: Exame de toque retal – o que é e importância

Câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum em homens, sendo considerado um tumor da terceira idade. Isso se deve ao fato de que mais da metade dos casos de câncer de próstata ocorre em pessoas com mais de 65 anos de idade.

São principais fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença: idade, histórico familiar, obesidade e exposição a algumas substâncias, como arsênio e produtos de petróleo. Pessoas negras também apresentam chance aumentada de desenvolver a doença.

Esse tipo de câncer geralmente apresenta evolução lenta, portanto, é essencial estar atento a sinais e sempre fazer exames preventivos. O diagnóstico precoce pode ser a chave para um tratamento de sucesso.

Leia também: Tumor – o que é, tipos, tumor x câncer, causas

  • Sintomas do câncer de próstata

O câncer de próstata, geralmente, evolui lentamente, sendo assim, os sintomas são percebidos quando a doença já está em estágio avançado, dificultando o tratamento. Os principais sintomas desse tipo de câncer são a diminuição do jato de urina e aumento na frequência urinária. Também podem ocorrer dificuldade ao urinar e sangue na urina.

Vale salientar que, muitas vezes, esses sintomas estão relacionados não com o câncer, e sim com o crescimento benigno da próstata, uma condição comum em pessoas mais velhas.

O câncer de próstata pode desencadear problemas como micção frequente e sangue na urina.
O câncer de próstata pode desencadear problemas como micção frequente e sangue na urina.
  • Diagnóstico do câncer de próstata

Para diagnosticar o câncer de próstata, é fundamental a realização do exame de toque e o de sangue, que é conhecido como PSA (Antígeno Prostático Específico). Esses dois exames, apesar de sua importância, não podem ser usados de maneira isolada para afirmar com precisão a ausência ou presença de câncer. Em caso de alteração nesses exames, pode-se solicitar uma biópsia para a confirmação da presença do tumor e exames de imagem para verificar se outras áreas foram atingidas.

Recomenda-se que, a partir dos 50 anos, o urologista seja procurado anualmente para a realização dos exames. Pacientes que possuem histórico familiar da doença devem procurar o médico a partir dos 45 anos de idade. Estima-se que homens com parentes próximos que tiveram esse tipo de câncer antes dos 60 anos possuam, em média, 3 a 10 vezes mais riscos de desenvolver a doença.

Sendo assim, ficar atento aos sinais do corpo e procurar o médico com frequência é extremamente importante para diagnósticos precoces e tratamentos mais eficientes. Não deixe, portanto, que o medo ou a vergonha sejam empecilhos para o cuidado com a saúde.

  • Prevenção do câncer de próstata

Uma alimentação saudável, rica em verduras, vitaminas e cereais, é uma das formas de prevenir diversas doenças. Segundo alguns especialistas, pode também ajudar na prevenção contra o câncer de próstata, apesar de essa relação ainda ser incerta. Além disso, é importante evitar gorduras de origem animal, bem como consumir excessivamente de carne. Não fumar, beber moderadamente e realizar atividades físicas também parecem ajudar a diminuir os riscos de apresentar a doença ou o surgimento de formas mais graves.

Apesar de bons hábitos de vida serem essenciais, eles não garantem prevenção completa contra o câncer de próstata. Sendo assim, o melhor é realizar exames periódicos a fim de conseguir um diagnóstico precoce da doença.

  • Tratamento do câncer de próstata

O tratamento do câncer de próstata depende de vários fatores, como estado atual de saúde do paciente e o estadiamento do câncer. Normalmente os tratamentos mais adotados são a cirurgia e a radioterapia

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Assuntos Relacionados