Febre maculosa

A febre maculosa é uma doença febril grave que é transmitida pela picada de carrapato. Se não tratada, causa a morte em 80% dos casos.

A febre maculosa é uma doença bacteriana transmitida pela picada de um carrapato e, como o próprio nome indica, causa febre alta. Essa enfermidade é grave e, se não tratada rapidamente, pode levar o paciente à morte.

Saiba mais sobre: Doenças bacterianas

Agente etiológico da febre maculosa

A febre maculosa é uma doença febril causada por bactérias do gênero Rickettsia. A febre maculosa brasileira é causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, uma espiroqueta (bactéria com formato helicoidal) gram-negativa (cora-se de vermelho quando submetida à coloração de Gram).


Vetores da febre maculosa

Os vetores da febre maculosa são algumas espécies de carrapatos. No Brasil, os principais vetores são os carrapatos do gênero Amblyomma, principalmente o A. cajennense, conhecido como carrapato-estrela. Além de atuar como vetores, os carrapatos são reservatórios da bactéria, já que a transmitem aos seus descendentes.

Algumas espécies de animais destacam-se por seu papel na transmissão da febre maculosa, sendo esse o caso de capivaras, gambás e equinos. Muitas dessas espécies possuem carrapatos, os quais muitas vezes estão contaminados e contribuem para a transmissão da doença.

As capivaras podem conter carrapatos transmissores da febre maculosa.
As capivaras podem conter carrapatos transmissores da febre maculosa.


Transmissão da febre maculosa

A febre maculosa é transmitida pela picada do carrapato contaminado. Para que a transmissão aconteça, o carrapato deve ficar aderido à pele por um período de quatro a cinco horas. Alguns autores afirmam que, para que ocorra a transmissão, são necessárias de seis a dez horas. Vale destacar que uma pessoa doente não transmite a febre maculosa para outra pessoa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por ser transmitida pela picada de carrapato, é sempre importante evitar locais em que se sabe que há infestação desse animal. Além disso, caso não haja como evitar locais com infestação, é fundamental estar com vestimentas adequadas, como roupas de manga comprida e sapatos. Ao sair do ambiente, é importante verificar o corpo e procurar por carrapatos que possam estar aderidos.


Sinais e sintomas da febre maculosa

O período de incubação da febre maculosa (tempo decorrido entre o contato com a bactéria e os primeiros sintomas) é de 2 a 14 dias. O início da doença é súbito, e os sintomas iniciais são febre alta, dores musculares, dor de cabeça, náusea, vômito, manchas vermelhas pelo corpo e mal-estar. Esses sintomas são pouco específicos e podem causar um atraso no diagnóstico.

A doença pode evoluir para casos mais graves, causando edema nas pernas, aumento do fígado e baço, insuficiência renal, edema pulmonar, tosse, meningites e manifestações hemorrágicas. O paciente pode ter ainda confusão mental, convulsões e chegar ao coma profundo.


Diagnóstico e tratamento da febre maculosa

O diagnóstico da febre maculosa é feito com exames, uma vez que os sintomas são pouco específicos. O exame mais utilizado é a reação de imunofluorescência indireta, que busca identificar anticorpos contra a doença.

O tratamento deve ser iniciado mesmo sem confirmação laboratorial do caso, bastando apenas a suspeita da doença. O tratamento iniciado nos primeiros dias da doença apresenta maior chance de sucesso. Por ser causada por uma bactéria, o tratamento da febre maculosa baseia-se no uso de antibióticos.

Os carrapatos do gênero Amblyomma são os principais vetores da febre maculosa.
Os carrapatos do gênero Amblyomma são os principais vetores da febre maculosa.
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Assuntos Relacionados