Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Doenças
  3. Hidrocefalia

Hidrocefalia

A hidrocefalia é caracterizada pelo impedimento da circulação do líquido cefalorraquidiano.

Hidrocefalia
O termo hidrocefalia indica água na cabeça e está relacionado com o acúmulo de líquido cefalorraquidiano

A hidrocefalia, termo que significa “água na cabeça”, é um distúrbio caracterizado por um aumento na quantidade de líquido cefalorraquidiano no interior da caixa craniana. Esse acúmulo leva a um aumento do sistema ventricular, que é um conjunto de cavidades na região do encéfalo contínuo com o canal central da medula espinhal.

Esse líquido fica em constante circulação na região entre as meninges (entre a aracnoide e a pia–máter), nos ventrículos e no canal central da medula espinhal. É importante salientar a importância do líquido cefalorraquidiano, que atua protegendo o encéfalo e a medula contra impactos.

A hidrocefalia ocorre geralmente em virtude de um bloqueio na circulação do líquido, fazendo com que a pressão na medula e no encéfalo aumente. Sua causa pode estar relacionada com fatores genéticos, ambientais ou herança multifatorial. Fatores como tumores, cistos, traumas, infecções e malformações estão associados com a hidrocefalia.

Podemos classificá-la em dois tipos: a comunicante e a não comunicante. A hidrocefalia comunicante ocorre quando a obstrução na circulação do líquido não acontece no sistema ventricular. Já a não comunicante está relacionada com obstruções dentro do sistema ventricular que impedem a comunicação com o espaço subaracnóideo.

Existe ainda um tipo de hidrocefalia denominado de pressão normal, em que não ocorrem sinais de pressão intracraniana. Esse tipo se caracteriza por declínio intelectual, alterações na marcha e incontinência urinária.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os sintomas da hidrocefalia vão depender de fatores como idade e a causa do acúmulo de líquido. Os sintomas da hidrocefalia congênita (diagnosticada na gravidez ou logo após o parto) são claros, podendo ser facilmente observados ainda na ultrassonografia. Após o nascimento, é possível observar a cabeça aumentada, bem como as veias na região do couro cabeludo. Além disso, as linhas da sutura dos ossos ficam bem separadas.

Quando acomete pessoas que já possuem os ossos do crânio soldados, os sintomas podem aparecer de forma menos clara. Dores de cabeça, enjoos, vômitos, dificuldade de concentração e distúrbios visuais são alguns dos sintomas que podem surgir.

O tratamento deve iniciar o quanto antes, uma vez que o aumento da pressão intracraniana pode levar a lesões graves no tecido cerebral. O tratamento baseia-se na introdução de uma válvula que controla a pressão no interior do ventrículo através da drenagem do líquido cefalorraquidiano de uma área onde ele está em excesso e sua remoção para outra área.