Você está aqui Mundo Educação Doenças Doenças bacterianas Leptospirose e doenças típicas de enchentes

Leptospirose e doenças típicas de enchentes

Leptospirose e doenças típicas de enchentes
Enchentes: fator propício para o surgimento de certas doenças.

Enchentes, principalmente quando ocorrem em regiões mais carentes de infraestrutura, podem trazer consigo uma gama de doenças, já que conferem condições propícias para o surgimento de vetores; e carregam consigo lama, lixo e esgoto – e com eles, possíveis patógenos.

A ingestão de água e alimentos contaminados pode causar doenças como:

- Cólera: cujo agente transmissor é a bactéria Vibrio cholerae, causando um quadro de diarreia, que pode desencadear em desidratação;

- Febre tifoide: doença também bacteriana, causada pela Salmonella typhi. Esta, cujo contágio também se dá pelo contato com pessoas acometidas, causa febre, dor de cabeça, diarreias e sangramentos. Pode desencadear em morte, em situações nas quais o intestino é perfurado;

- Hepatites A e E: com a mesma forma de transmissão que a febre tifoide, estas doenças virais causam náuseas, icterícia (pele e olhos amarelados) e urina e fezes esbranquiçadas. Com grandes chances de comprometer o fígado, podem ser fatais.

Também há aquelas doenças cuja transmissão se dá por outras formas de contágio. São elas:

- Leptospirose: doença bacteriana causada pela Leptospira interrogans. Esta, de transmissão que se dá pelo contato da pele com água ou solo contaminado, ou das mucosas com alimentos ou objetos contendo estes patógenos, causa dores de cabeça, músculos e articulações; febre, náuseas, vômitos, problemas respiratórios e, em casos mais sérios, complicações renais – que podem levar o indivíduo à morte. É considerada endêmica de nosso país.

- Tétano: a exposição a objetos cortantes propiciada pelas enchentes pode aumentar as chances do indivíduo se infectar por esporos da Clostridium tetani. As toxinas que esta bactéria libera provocam espasmos e contrações musculares, propiciando a morte por parada respiratória ou cardíaca.

- Dengue: a água parada pode ser local de depósito de ovos da fêmea de Aedes aegypti: mosquito transmissor da dengue e febre amarela. Assim, caso estes mosquitos estejam contaminados pelo vírus da dengue, podem transmitir a doença às vítimas da enchente.

Considerando tais aspectos, é perceptível que medidas de prevenção a enchentes se fazem necessárias já que, além de perdas materiais, tais eventos se revelam como um problema de saúde pública.

Orientar a população a destinar corretamente seu lixo, evitando a proliferação de pragas urbanas; não ingerir água que não seja tratada nem alimentos que foram expostos a água de enchente, e investir em saneamento básico são algumas medidas governamentais que devem ser adotadas para amenizar o quadro.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Assuntos Relacionados